Gil Vicente assume acordo com Liga e Belenenses no Caso Mateus

Clube de Barcelos emitiu comunicado a confirmar decisão, mas não abdica de indemnização.

Foto

O Gil Vicente pronunciou-se publicamente, esta sexta-feira, através de um comunicado oficial, sobre o acordo estabelecido com Belenenses e Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) no Caso Mateus, e que prevê a promoção administrativa dos gilistas ao principal escalão nacional na época 2019-20.

O emblema de Barcelos, actualmente na II Liga, veio agora confirmar que, “após recomendação e patrocínio da FPF para a reintegração do Gil Vicente na I Liga”, as partes deste processo “alcançaram um acordo amigável, em termos tais que a LPFP e a Belenenses SAD não recorrerão da decisão judicial, que transitou em julgado, de modo a que o Gil Vicente possa ser integrado na época 2019/2020 na 1ª Liga".

Acrescentam o minhotos que, reconhecendo que "a actuação dos dirigentes do Belenenses na época dos factos ocorreu em estrita defesa dos interesses da instituição que representavam", nenhum eventual direito irão exercer contra o clube do Restelo.

O Gil Vicente recorda que em 11 de Dezembro de 2017 “foi proferido acórdão pelo Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa que confirmou como nulo o acórdão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que determinou a descida de divisão da equipa do Gil Vicente Futebol Clube (Gil Vicente)”, que durante cerca de 10 anos travou uma luta desportiva e jurídica.

No comunicado, os gilistas vincam que compete "à LPFP dar cumprimento à recomendação da FPF e à decisão judicial, levando a cabo as decisões internas necessárias para que essa integração se torne realidade”, e mantêm que a “integração do Gil Vicente na 1ª Liga deve ser seguida pela prestação da indemnização" que compense o clube pelos "graves prejuízos sofridos”.