Catarina Furtado fala sobre assédio sexual (e não é a única)

A apresentadora lembrou um episódio que lhe aconteceu num contexto de trabalho como o momento “mais embaraçoso” da sua vida.

Foto
miguel manso/arquivo

Catarina Furtado revelou esta semana, numa entrevista à Rádio Comercial, que foi vítima de assédio sexual. A apresentadora, que nunca tinha falado sobre este episódio em público, escolheu fazê-lo no podcast Cada Um Sabe de Si, com Joana Azevedo e Diogo Beja, quando este lhe perguntou: “Qual foi o momento mais embaraçoso da tua vida?”.

“Vou falar mesmo a sério agora. E não pensem que é moda, mas já que agora toda a gente fala, há uma libertação geral: foi quando fui assediada sexualmente”, respondeu a apresentadora. Não divulgou detalhes em relação ao incidente, mas revelou ainda que ocorreu num ambiente de trabalho.

A apresentadora reconhece que começa a haver mais mulheres portuguesas a partilhar as suas experiências. Nos últimos meses, uma série de figuras conhecidas decidiu falar publicamente sobre este tema: Sara Sampaio denunciou a revista que publicou fotografias suas com nudez, apesar de ter assinado um contrato que o proibia expressamente; a actriz Dânia Neto falou, numa entrevista a Rui Unas, sobre um episódio que aconteceu no início da sua carreira, não revelando nomes; e a fadista Aldina Duarte lembrou um incidente que aconteceu com um professor de Música quando ela tinha 12 anos, em entrevista à revista Visão.

“Só não estou a adiantar [pormenores] porque estamos num jogo e é pergunta-resposta e é uma brincadeira”, apontou ainda Catarina Furtado.

A apresentadora aproveitou ainda para criticar o argumento que diz ser utilizado por muitos para descredibilizar as mulheres que agora falam sobre as suas histórias de assédio sexual – que algumas serão falsas, ditas apenas por estar na moda. “As mulheres falam porque realmente agora houve uma espécie de alívio, uma protecção. A verdade é que praticamente todos estes casos são verdadeiros. As mulheres durante anos e anos habituaram-se a ter de jogar de uma forma não saudável com isto tudo”, analisa.

O clip foi publicado já pelo site da Rádio Comercial, e está incluído na segunda parte do podcast – a ser lançado ainda.