Aberto inquérito à morte de adolescente diagnosticada com “constipação”

A rapariga de 14 anos foi por duas vezes ao centro de saúde, tendo sido enviada para casa. Morreu na madrugada desta segunda-feira.

Familiares dizem que o INEM demorou 40 minutos a chegar
Foto
Familiares dizem que o INEM demorou 40 minutos a chegar José Fernandes

A Inspecção-Geral das Actividades em Saúde está a investigar a morte de uma menor na madrugada de segunda-feira, depois de ter sido assistida duas vezes no centro de saúde de Castro Daire e ter sido diagnosticada com uma “pequena constipação”. O caso é contado pelo Jornal de Notícias.

A adolescente de 14 anos, residente em Monteiras, foi vista por um médico na sexta-feira, com sintomas que lhe disseram ser de uma constipação. De acordo com o Jornal de Notícias, a jovem piorou no domingo e os pais decidiram levá-la de novo às urgências do centro de saúde, tendo sido novamente enviada para casa.

Durante a madrugada de segunda-feira, começou com dificuldades em respirar e a deitar sangue pelo nariz e pela boca. Queixava-se ainda de uma forte dor nas costas. O INEM ainda foi chamado ao local, mas a criança não resistiu e morreu antes da chegada da assistência médica, detalha o diário. O INEM terá demorado 40 minutos a chegar à casa, de acordo com José Pinto, tio da vítima e presidente da Junta de Monteiras.

"Este segundo médico viu a medicação e mandou-a para casa, dizendo-lhe que era uma pequena constipação e que ia passar", relatou o familiar, que acusa o médico de ter visto a criança “a despachar”, em vez de a encaminhar para o hospital.

Luís Botelho, director do Agrupamento dos Centros de Saúde Dão Lafões, afirmou que a Inspecção Geral de Actividades em Saúde já abriu um inquérito para apurar responsabilidades e que por esse motivo não pode prestar declarações sobre o caso.