PAN escreve a Al Gore: “Queremos deixar de contribuir para as suas Ilhas de Lixo”

Nas vésperas da discussão do projecto que visa limitar a utilização de pratos e copos de plástico na restauração, o partido lança uma campanha nas redes sociais que pretende mobilizar a opinião pública e os decisores para combater a quantidade de plástico usado em Portugal.

A campanha #AlGoreReplytoPAN prossegue nas redes sociais
Foto
A campanha #AlGoreReplytoPAN prossegue nas redes sociais DR

O deputado do PAN André Silva enviou uma carta a Al Gore que pretende envolver o autor do livro e documentário Uma Verdade Inconveniente numa campanha de comunicação que visa sensibilizar a opinião pública e os decisores para a necessidade de se reduzir a dependência do plástico em Portugal. A dois dias do debate, na Assembleia da República, do projecto deste partido que visa reduzir a utilização de "louça" descartável em plástico na restauração, a campanha quer colocar o assunto na ordem do dia.

“Escrevemos-lhe na qualidade de cidadão n.º 1 das Ilhas de Lixo do Oceano Pacífico – amontoado de lixo que já é sete vezes maior do que todo o território português” para o informar “que é nosso objectivo deixar de contribuir largamente para a expansão territorial das Ilhas de Lixo”, escreveu André Silva ao Prémio Nobel da Paz de 2007, precisamente pelos alertas mundiais que este fez sobre as alterações climáticas.

É a resposta “afirmativa e enérgica a todos os desafios que nos deixou na Web Summit 2017: ‘Temos de fazer alguma coisa? Podemos fazer alguma coisa? E vamos fazer alguma coisa?’. Sim, podemos fazer todos alguma coisa agroa, e é por isso que vamos apresentar na Assembleia da República portuguesa várias medidas para combater a quantidade absurda de plástico usado em Portugal e que contribui para aumentar a pegada ecológica do nosso país”, explica o deputado ao antigo candidato a Presidente dos EUA em 2000. Refere em particular o fim da louça de plástico descartável na restauração, nos festivais e em estabelecimentos de diversão, mas tambéma a proibição de microplásticos em tintas, produtos cosméticos, de limpeza e de higiene pessoal.

Para além da acção parlamentar, a campannha #AlGoreReplytoPAN estará presente nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram, tentando não só estimular uma resposta institucional do fundador do Climate Reality Project, mas também atrair a atenção nacional e internacional para este problema que, sublinha o PAN, “é real e não está tão distante como se pode pensar, visto que se espera que em 2050 a quantidade de plástico nos oceanos seja maior do que a quantidade de peixe”.