Uma loja para despejar a fúria que um despertador causa

Alguma vez te apeteceu destruir o despertador quando ele toca? Em Amesterdão há um espaço pensado para quem odeia ser acordado

Haverá muita gente que, em algum momento (ou em vários), já teve vontade de o fazer: pegar num martelo, num taco de basebol ou aproveitar um aquário de peixes cheio de água para... acabar com a vida — e o som — do despertador. Parece brincadeira, mas em Amesterdão uma start-up decidiu abrir uma loja para isso mesmo.

Chama-se Alarm Clock Smash Store, abriu na passada segunda-feira (a chamada blue monday) e estará disponível durante duas semanas (ou até serem destruídos mil despertadores). Não é difícil perceber que a iniciativa se trata, na verdade, de uma pequena acção de marketing, já que a empresa promotora, Matt Sleeps, vende colchões: “O nosso propósito é criar um mundo sem despertadores. Não queremos que ninguém te desperte do sono perfeito”, explicou Joep Verbunt, um dos empreendedores, ao El Mundo.

Há várias empresas a investir na criação de projectos que procuram tornar o momento de despertar menos agressivo. Acordar com o cheirinho a chocolate ou café, por exemplo, é possível para quem tiver o Sensorwake; quem quiser ir mais longe e ter o café a ser feito existe o Barisier; e para quem não quer perder tempo, há o Ruggie, um despertador em forma de tapete que se cala quando é pisado. 

A Matt Sleeps — que já tinha inovado em 2016 quando criou o primeiro bar do mundo para curar ressacas — tem as portas abertas a todos os que detestem acordar com o ruído de um despertador. Podem levar o seu de casa ou usar um dos mil, todos analógicos, comprados pela start-up para o efeito. Ao ouvir o som, o cliente deve pôr o capacete e óculos protectores e acabar com o despertador com um dos objectos disponíveis. Será relaxante?