Depois do apagão dos Globos de Ouro, a luz regressa aos Grammys com uma rosa branca

A escolha da cor deve-se ao facto de o branco ter sido usado pelas mulheres que defenderam o direito ao voto.

Foto
Grammys 2017 onde Adele foi uma das vencedoras Reuters/MIKE BLAKE

Apesar de na Gala dos Globos de Ouro as celebridades terem aderido ao preto como forma de protesto contra o assédio e agressão sexual, nos Grammys espera-se que todas usem uma rosa branca que irá representar solidariedade com o movimento Time’s Up. No domingo passado, a cor regressou à passadeira vermelha com os prémios SAG.

A escolha do branco – uma ideia desenvolvida por Meg Harkins da editora Roc Nation e por Karen Rait da editora Interscope, Geffen e A&M –, deve-se ao facto de esta cor ter sido usada pelas sufragistas que defenderam o direito ao voto, em protestos ocorridos no início do século passado, defendendo assim a igualdade de género.

Artistas como Halsey, Rita Ora, Kelly Clarkson, Cyndi Lauper e uma crescente lista de participantes já concordaram em usar a rosa branca.

Independentemente de como os artistas decidam usar a rosa, os organizadores esperam que a mensagem por trás do acessório seja entendida. "Os artistas de música têm muito impacto", disse Karen Rait à Billboard. "É justo que a maior noite da música mostre o apoio à igualdade e segurança no local de trabalho", afirmou, explicando que os artistas com alguma visibilidade devem usar este símbolo para acabar com o assédio e agressões sexuais em diferentes áreas de trabalho, incluindo o mundo da música.