Google deixa utilizadores desactivar anúncios que os perseguem

O objectivo é acabar com o medo de pesquisar sobre um dado tema para evitar só ver anúncios sobre isso.

O Google admite que "anúncios lembrete" nem sempre são úteis
Foto
O Google admite que "anúncios lembrete" nem sempre são úteis Kim Kyung Hoon

O Google quer diminuir os anúncios na Internet que seguem todos os passos dos seus utilizadores. Esta quinta-feira, a empresa lançou uma funcionalidade para ignorar os chamados “anúncios lembrete” de uma marca ou serviço em que o utilizador não está interessado.

Num comunicado, o Google explica que um "anúncio lembrete" tem o objectivo de recordar o utilizador sobre um produto que pesquisou no passado. O Google descreve-os como "úteis", mas admite que quando "já não se está a pesquisar um novo par de botas, não se precisa de um lembrete". Por isso, a partir de agora, cada utilizador pode escolher ignorar, durante 90 dias, anúncios de determinadas empresas e serviços que sejam mostrados através da plataforma de publicidade do Google.

O objectivo é acabar com o medo das pessoas de pesquisar sobre um dado tema – por exemplo, uma viagem de sonho ou uma máquina de café – porque sabem que vão ser perseguidos com publicidade sobre férias em cruzeiros ou cápsulas de café especiais em qualquer site que visitem nos próximos tempos. O "pedido para ignorar"  é feito nas definições de anúncios na conta do utilizador do Google e funciona em qualquer site que use a plataforma de anúncios do Google (segundo a empresa, inclui mais de dois milhões de sites). 

"Queremos criar produtos que põem [o utilizador] com controlo dos seus dados", frisa Jon Krafcik, um gestor de produtos e privacidade do Google, em comunicado. “Nos próximos meses, queremos expandir esta ferramenta aos anúncios no YouTube, no motor de busca do Google e no Gmail”

Não é a primeira vez que o Google se mostra preocupado com a publicidade online demasiado intrusiva. A partir do dia 15 de Fevereiro, o browser Chrome, desenvolvido pela empresa, vai passar a bloquear automaticamente anúncios em páginas cuja publicidade não cumpra critérios de qualidade.

As decisões, que parecem ter o propósito de melhorar a opinião de utilizadores sobre anúncios, surgem quando cada vez mais utilizadores optam por não ver qualquer tipo de publicidade ao instalar bloqueadores gratuitos como o AdBlock.