Por que deixou Jade Hameister uma sandes no Pólo Sul?

Australiana de 16 anos deu uma conferência para incentivar as raparigas a serem mais corajosas.

Foto
DR

Jade Hameister é australiana, tem 16 anos e sete meses, já fez uma expedição ao Pólo Norte, com 14 anos, e terminou a do Pólo Sul, este mês, onde deixou uma sandes como resposta a todos os que, nas redes sociais, gozaram com ela e lhe disseram que casasse e fizesse uma sanduíche para o marido ou que a fizesse para eles próprios.

A jovem, na fotografia que partilhou no Instagram, respondeu a todos os trolls: "Agora só têm de esquiar 37 dias e 600 quilómetros até ao Pólo Sul e poderão comê-la." É uma sandes de queijo e presunto.

Foram 37 dias e a viagem não foi fácil, conta a adolescente no Instagram. "O meu guia. Eric Philips disse que, em 25 anos de orientação polar, esta foi a viagem mais difícil que fez em termos de condições climáticas", relata. "O vento e o frio extremo eram implacáveis e brutais. Tantas histórias e tantas lembranças", continua, explicando que para fazer os dois pólos e a Gronelândia, o Polar Hat Trick, percorreu 1300 quilómetros de esquis e a arrastar um trenó pesado.

Embora não o tenha feito para quebrar recordes, a verdade é que os foi fazendo cair ao longo do seu percurso, continua: é a mais jovem a esquiar a costa para o Pólo Sul e a fazer os dois pólos, e a primeira mulher a estabelecer essa rota. É também a primeira australiana e a mais nova a completar o Polar Hat Trick. "É uma honra fazer parte da primeira equipa australiana a estabelecer uma nova rota da costa para o Pólo Sul", escreveu ainda nas redes sociais.

Foi aos 14 anos que Jade Hameister fez uma conferência TEDx Talk sobre a sua expedição ao Pólo Norte onde, em dez minutos, faz um apelo às raparigas para que sejam mais, ambicionem mais do que esperar pelo príncipe encantado ou estarem obcecadas com o corpo. Então, os comentários ao vídeo foram sexistas. "Talvez encontres um marido bem sucedido e lhe faças uma sandes", escreveu um deles. Outro perguntou-lhe quantos homens a ajudaram a chegar ao Pólo Norte. Quem dissesse que a jovem só fazia estas viagens porque os pais têm dinheiro.

"Começa, não esperes por que a coisa fique perfeita para começares", incentiva as raparigas a fazer algo de que gostem. "A coragem não é a ausência do medo, mas a vontade de agir apesar do medo. Sem coragem as nossas vidas permanecem pequenas", declara neste vídeo.

Sugerir correcção