Três marcas portuguesas levam filigrana a Tóquio

Galeiras, Goris e Inês Barbosa são as marcas que levam a filigrana portuguesa até à International Jewellery Tokyo, no Japão.

Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar,Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Rota da Filigrana de Gondomar DR
Fotogaleria
Galeiras DR
Fotogaleria
Goris DR
Fotogaleria
Inês Barbosa DR

Três marcas nacionais estão a participar, até sábado, na International Jewellery Tokyo, onde farão demonstrações de filigrana portuguesa, ou seja, como se faz esta arte de ourivesaria. Esta é a primeira vez que a Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP) leva uma comitiva a este evento japonês, as marcas – Galeiras, Goris e Inês Barbosa – candidataram-se e pagaram a sua participação. 

“O mercado asiático é muito apetecível para as jóias portuguesas. Para além da sua dimensão e crescente poder de compra, valoriza a qualidade e singularidade da nossa joalharia”, justifica Fátima Santos, secretária-geral da AORP, em comunicado, recordando que o Japão tem uma relação histórica com Portugal, identificando-se assim um grande potencial de expansão para a joalharia e ourivesaria nacional, uma vez que é a terceira maior economia do mundo.  

PÚBLICO -
Foto
Rota da Filigrana de Gondomar DR

Como se trata de um mercado que valoriza a produção artesanal, as marcas farão demonstrações ao vivo de filigrana portuguesa. Esta experiência será alargada a outras feiras internacionais nas quais os sócios da AORP poderão participar, numa parceria com a Rota da Filigrana de Gondomar. “O verdadeiro valor das jóias portuguesas está nas mãos dos nossos artesãos, herdeiros do saber e talento de gerações, na sua mestria, paixão, atenção ao detalhe”, explica Fátima Santos.

Desta vez marcam presença três empresas familiares com algumas décadas de história – a Galeiras dedica-se à arte da joalharia há mais de 50 anos; a Goris nasceu no final dos anos 1980, da experiência de duas famílias de "conceituados ourives portugueses"; e Inês Barbosa é a quinta geração de uma família de ourives, as suas peças são feitas à mão, recriando desenhos originais. No entanto, a AORP pretende, no futuro, conseguir "juntar os dois mundos – a arte e o design". Para isso, estão previstas outras acções.

A International Jewellery Tokyo é o maior evento de joalharia no Japão, reunindo mais de 1300 expositores de cerca de 30 países. Prevê-se que passem pela feira, que começou esta quarta-feira e termina no sábado, 31 mil visitantes. 

Texto editado por Bárbara Wong