Quarta-feira é dia de Portugal no Fórum Económico Mundial

Foto
Nuno Ferreira Santos/PÚBLICO/arquivo

Realiza-se esta quarta-feira, segundo dia do programa oficial do Fórum Economico Mundial, uma espécie de “Dia de Portugal” em Davos. A iniciativa, adiantara já o Expresso este sábado, é do primeiro-ministro António Costa e tentará explicar a potenciais investidores “Porquê Portugal? E porquê agora?”, num encontro promovido pela AICEP – agência estatal para a promoção e captação de investimento estrangeiro do país.

Além do primeiro-ministro, a comitiva oficial portuguesa conta com o ministro das Finanças (que desde 13 de Janeiro ‘acumula’ funções de presidente do Eurogrupo), Mário Centeno, e com o ministro da Economia. Caldeira Cabral está desde segunda-feira em Davos a participar no programa oficial e a realizar “encontros bilaterais” solicitados por “empresários, companhias” e ”instituições financeiras” e representações de outros países, como a Bulgária, afirmou fonte oficial do gabinete do ministro ao PÚBLICO. Este ano estará presente, pela primeira vez, Ana Teresa Lehman, como secretária de Estado da Indústria. No ano passado foi João Vasconcelos a participar.

Como António Costa e Caldeira Cabral, os representantes das empresas que constam da lista oficial do Fórum são repetentes em Davos: Cláudia Azevedo, presidente executiva da Sonae Capital (do grupo Sonae, dono do PÚBLICO); José Soares dos Santos, presidente executivo da Sociedade Francisco Manuel dos Santos; e Henrique Soares dos Santos, administrador da Jerónimo Martins. O Eco adianta ainda que Cristina Fonseca, da Talkdesk, irá voltar a Davos este ano.

Do lado da academia, o economista, docente da Nova School of Busines e conselheiro da OCDE, Afonso Mendonça Reis, confirmou ao Eco que volta igualmente ao Fórum como “Global Shapers”. 

Repetentes são igualmente António Guterres e Carlos Moedas, nas respectivas funções de secretário-geral da ONU e de comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação.