Jack Brooksbank esperou pela princesa Eugenie para desenhar o anel de noivado

O casamento da filha dos duques de York tem lugar marcado na Capela de St. George, no próximo Outono.

Fotogaleria
Reuters/POOL
Fotogaleria
LUSA/Jonathan Brady / HANDOUT

Depois da confirmação do noivado da princesa Eugenie e de Jack Brooksbank, que também casarão na mesma capela que o príncipe Harry e Meghan Markle, mas só no Outono, em Windsor, o noivo explicou numa entrevista à BBC, na segunda-feira, porque não ofereceu logo o anel de noivado a Eugenie. 

PÚBLICO -
Foto
LUSA/Jonathan Brady

Jack Brooksbank, que é um socialite e embaixador da tequila Casamigos, a marca de George Clooney, namora com a princesa há sete anos. Na entrevista, feita depois de conhecido o noivado, contou que quando o pedido foi feito o casal estava rodeado por um “belo vulcão, o sol estava a pôr-se e havia pássaros a voar". Aconteceu na Nicarágua, no início do ano, divulgou o Palácio de Buckingham quando na segunda-feira deu a notícia.

"O lago era tão bonito", acrescentou Eugenie. "Havia uma luz especial que nunca tinha presenciado”. Foi depois de Eugenie ter descrito o momento como “incrível” que Jack Brooksbank decidiu fazer o pedido de joelhos, como manda a tradição. Eugenie confessou que não estava à espera, embora já namorem há anos.

"Eu encontrei um anel numa joalharia e depois acabei por pedir a Eugenie em casamento sem esse anel", para que a noiva pudesse ter uma palavra a dizer sobre a pedra escolhida. "Gostei muito da safira porque muda de cor dependendo dos ângulos, tal como a Eugenie. Para mim, a Eugenie muda de cor, o que a torna numa pessoa incrível", justificou o noivo que conheceu a princesa numa estância de esqui suíça. Só quando o casal voltou ao Reino Unido é que projectou o anel de diamantes que rodeia a safira.