Menos 12.715 crianças e jovens receberam abono de família em Dezembro

No último mês de 2017, o número de titulares de abono de família fixou-se em 1.094.107, sendo contabilizadas menos 12.715 crianças e jovens face ao valor revisto de Novembro.

Lisboa é o distrito do país com o maior número de abonos de família atribuídos (223.340), seguindo-se o Porto (209.195) e Braga (96.778)
Foto
Lisboa é o distrito do país com o maior número de abonos de família atribuídos (223.340), seguindo-se o Porto (209.195) e Braga (96.778) bruno lisita

Menos 12.715 crianças e jovens receberam abono de família em Dezembro face a Novembro, uma descida de 1,1%, segundo dados do Instituto da Segurança Social (ISS) divulgados esta segunda-feira.

Em Dezembro de 2017, o número de titulares de abono de família fixou-se em 1.094.107, sendo contabilizadas menos 12.715 crianças e jovens face ao valor revisto de Novembro (1.106.822) e menos 21.602 relativamente ao mês homólogo de 2016 (-1,9%).

Segundo o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), "estes números serão revistos em alta nos meses seguintes, como habitualmente, dado que a informação sobre prestações familiares corresponde ao mês de referência, em vez do mês de processamento".

Lisboa é o distrito do país com o maior número de abonos de família atribuídos (223.340), seguindo-se o Porto (209.195) e Braga (96.778).

Relativamente às prestações por parentalidade, as estatísticas da Segurança Social, publicadas no seu site, indicam um aumento no número de beneficiários.

De acordo com os dados, estes apoios foram atribuídos a 40.141 pessoas (26.987 mulheres e 13.154 homens) em Dezembro de 2017, representando um aumento de 2,5% face a Novembro e uma redução de 2,5% em relação a Dezembro de 2016.

Nas mulheres, houve acréscimo de 1,7% face ao mês anterior e redução de 5,1% relativamente ao período homólogo.

Nos homens, verificaram-se subidas de 4,2% considerando Novembro de 2017 e de 3,5% comparativamente a Dezembro de 2016, adiantam os dados.

O ISS divulga ainda que, em Dezembro de 2017, foram processadas 15.804 prestações para a inclusão, o que significa mais 29 beneficiários face ao valor revisto do mês anterior (15.775) ou, quando comparado com valor publicado do mês anterior (13.107), mais 2697 beneficiários.

O GEP explica esta diferença "pelo facto de, nos dois primeiros meses, esta prestação ter sido constituída unicamente pelos beneficiários do subsídio mensal vitalício, que foram convertidos automaticamente para esta prestação no momento da sua implementação".

Em Dezembro, o número já reflecte as entradas dos novos beneficiários que aguardavam o deferimento da prestação, refere o Gabinete de Estratégia e Planeamento, do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na síntese estatística que acompanha os dados do ISS.