Adepto condenado por morte com very-light foi detido de novo no estádio da Luz

Hugo Inácio, é um adepto do Benfica que, em 1996, matou um adepto do Sporting com um very-light no Jamor. Agora foi detido por desobediência e para cumprimento de outra pena aplicada ao abrigo de outro processo.

Detenção ocorreu no estádio da Luz
Foto
Detenção ocorreu no estádio da Luz Pedro Cunha

O homem condenado há 20 anos por matar uma pessoa no Estádio Nacional, com um very-light, foi detido no sábado pela PSP no Estádio da Luz, onde estava proibido de entrar na sequência de uma condenação por posse de material pirotécnico.

Este adepto de futebol foi preso pela PSP no âmbito do cumprimento de um mandado de detenção.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP informou que a detenção ocorreu às 16h de 20 de Janeiro, no âmbito do policiamento ao jogo entre o Benfica e o Chaves, decorrido no Estádio da Luz.

A PSP cumpria "um mandado de detenção emitido por Autoridade Judiciária, para cumprimento de pena de três anos, no âmbito de um processo-crime de detenção de arma proibida (artefactos pirotécnicos)".

O homem em causa, Hugo Inácio, é um adepto do Benfica que, em 1996, matou um adepto do Sporting com um very-light no Jamor, tendo sido condenado, em 1998, a quatro anos de prisão.

Actualmente com mais de 40 anos, Hugo Inácio voltou a ser condenado em 2016 a três anos de prisão e proibição de entrar em recintos desportivos durante sete anos, por posse de material pirotécnico, disse à Lusa fonte da PSP, especificando que o adepto em causa desobedeceu a uma pena determinada pelo tribunal, pelo que será julgado novamente.

Além desta detenção, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP deteve mais 29 pessoas, entre as 7h de sábado e as 7h deste domingo, cinco das quais por condução sem carta e 12 por condução sob o efeito do álcool, três por tráfico de droga, duas por furto, quatro por desobediência, uma por roubo, uma por posse ilegal de arma e uma por outros motivos.

Na sequência destas acções, foram apreendidas cerca de 179 doses individuais de estupefacientes, sendo 157 de haxixe, oito de heroína e 14 de cocaína, bem como duas armas brancas, dois revólveres, cinco caçadeiras e 2382 munições.