Sete ideias para sair esta semana

Ementa especial para aniversários em casa e na aldeia. Com comédia, cinema e vida selvagem à mistura.

Foto
A semana começa com entrada livre para a festa de anos do Rivoli Adriano Miranda

Rivoli em festa

Porto, Teatro Rivoli
Dia 20 de Janeiro

A coreógrafa Mathilde Monnier e o escritor Alan Pauls promovem El Baile no Grande Auditório. Maria Trabulo monta no átrio a instalação interactiva Soará a Silêncio, o Som de Uma Revolução Dentro de Um Bunker. No café, Ana Deus e Nicolas Tricot dão música a poetas. No subpalco, os Gala Drop tocam num cenário inédito da Oficina Arara. No Auditório Isabel Alves Costa, André Murraças faz Coro sobre e com funcionários do teatro. Na Sala Pingue-Pongue, Jorge Andrade conta a história da Mala Voadora.
Não há espaço do Rivoli que não embarque no programa preparado para a celebração do seu 86.º aniversário.
As portas do teatro portuense estão abertas para um dia com entrada livre, cheio de dança, música, teatro e arte, mas também workshops e actividades para crianças.
A festa só termina de madrugada, a dançar com Affreixo, André Tentúgal e Pedro Tudela.
Horário: das 11h às 4h.
Grátis (mediante levantamento de bilhetes – dois por pessoa – a partir das 10h do próprio dia)

 

PÚBLICO -
Foto
Tiago Pereira e a cantadeira Adélia Garcia DR

Música à nossa beira

Castelo Branco, Monforte da Beira
Dia 21 de Janeiro

Depois de ter ido a Beja, na sexta-feira, inaugurar um Centro Interpretativo e de ter estado em Lisboa, no sábado, a abrir um programa de concertos para o ciclo Portugal em Vias de Extinção no D. Maria II, Tiago Pereira faz de uma aldeia da Beira Baixa, no domingo, o palco da grande festa de aniversário d'A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria.
Passaram sete anos desde que aquele primeiro vídeo com Jorge Cruz abriu alas para os mais de três mil que se seguiram. Vídeos que foram fazendo um levantamento das mais diversas expressões musicais do país, dos movimentos das cidades aos sons das aldeias mais recônditas, à margem das auto-estradas. Foi graças ao projecto que vimos e ouvimos a já desaparecida cantadeira Adélia Garcia (que Giacometti também registou), grupos tradicionais, um coveiro intérprete de pente e até um homem tocador de folha.
Muitos dos que entraram no inventário vão estar em Monforte da Beira. Cabe-lhes animar um piquenique musical que convida a partilhar. E a provar a sopa de boda oferecida pela junta de freguesia, com um bolo em forma de adufe para sobremesa.

Horário: das 11h30 às 18h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
DR

Eirós à mesa

Santiago do Cacém, Lagoa de Santo André
Até 28 de Janeiro

Fritas ou grelhadas. Em ensopado, caldeirada, cataplana, açorda ou escabeche. Com batata, arroz, migas ou pão torrado. Seja qual for o prato, um ingrediente é certo nas ementas dos 12 restaurantes que se associam ao Festival da Enguia da Lagoa de Santo André.
É a quarta edição de uma mostra que procura divulgar o concelho e dinamizar a economia local em época baixa, ao mesmo tempo que enaltece uma iguaria que faz parte do património gastronómico local e que é pescada ali mesmo, numa área de reserva natural.
Nos restaurantes A Cascalheira, A Charrua, Café Snack-Bar A Palmeira, Chez Daniel, Copacabana, Faz-te Esperto, Martins, Quinta do Giz, Snack-Bar Arco-Íris, Tasquinha do Ilídio, Ti Adélia, Ti Lena Restaurante & Casa do Gin.

 

PÚBLICO -
Foto
Nuno Ferreira Santos

Para rir de (com?) portugueses

Lisboa, Casino Lisboa
Até 31 de Março

Se The Portuguese - A Musical Comedy lhe parecer uma peça para turistas, é porque é. E não é. Interpretada em inglês por um elenco luso, é um musical assumidamente apontado ao público estrangeiro, mas que pode e deve ser visto por portugueses.
scrito por Filipe Homem Fonseca e Rui Cardoso Martins, com encenação de Sónia Aragão e direcção artística de Ana Brito e Cunha, perfila-se como uma comédia de costumes que sumariza e caricatura os traços típicos – ou tipicamente apontados – do povo, com doses generosas de ironia e absurdo.
Em quadros que se riem da ordem cronológica, põe a conviver os grandes poetas com fadistas, políticos e outros vultos da história do país. Mostra batalhas como se fossem danças. Não esquece a chico-espertice. E põe o verbo to desenrascate a cada esquina do enredo.
Horário: terça, quinta e sábado (excepto 25 de Janeiro), às 18h30.
Bilhetes a 35€

 

PÚBLICO -
Foto
Manuel Roberto

Macacadas à borla

Até 31 de Janeiro
Vila Nova de Gaia, Zoo Santo Inácio (Avintes)

"Aproveite 2018 enquanto ele ainda é uma criança." Foi com este convite que o Zoo Santo Inácio entrou no novo ano.
Até ao fim de Janeiro, as crianças com menos de 12 anos não pagam bilhete para ver as mais de 260 espécies que ali vivem – mais de oito centenas de animais no total – num ambiente que recria o seu habitat natural.
Do reptilário ao novo túnel dos leões asiáticos, passando pela renovada savana, o reino dos macacos, a estufa tropical e a ilha dos lémures, está tudo aberto a visita.
Também incluída está a possibilidade de assistir aos momentos de alimentação e a demonstrações diárias com a bicharada.
Horário: terça a domingo, das 10h até às 17h (Outubro a Março); todos os dias, das 10h às 19h (Abril a Setembro).
Bilhetes a 14,50€ (adulto); 12€ (seniores); 9,50€ (dos três aos 12 anos – excepto este mês, com entrada gratuita, limitada a três crianças por adulto pagante); grátis para crianças até dois anos

 

PÚBLICO -
Foto
TMP

Marionetas trintonas

Porto, Teatro de Belomonte
De 25 de Janeiro a 4 de Fevereiro

É com um pacto com o diabo que o Teatro de Marionetas do Porto (TMP) começa a comemorar o seu 30.º aniversário.
Nesta quinta-feira, dia 25, regressa a Fausto, a adaptação do romance de Christopher Marlowe que Roberto Merino fez em 2015. Trata-se de uma homenagem a João Paulo Seara Cardoso (1956-2010) que, além de ter fundado a companhia, assinou a sua produção de estreia, Teatro Dom Roberto, em 1988. 
Fausto é a primeira de uma selecção de peças que, ao longo de todo o ano, vão ser repostas para representar e revisitar a história do TMP, tanto na sua casa da Rua de Belomonte como noutros locais da cidade.
Horário: quinta a sábado, às 21h30; domingo, às 16h.
Bilhetes a 8,50€ (com descontos)

 

PÚBLICO -
Foto
André Príncipe

Fotografia em fuga no cinema

Sines, Centro de Artes
De 26 a 28 de Janeiro

Três dias para explorar diálogos entre a fotografia e o cinema "na sua relação com a história, a arquitectura, o território, a política e a memória". É este o objectivo do Spectrum - Fotografia em Fuga, um ciclo de cinema promovido pela escola Hélice e programado por Nuno Lisboa.
Começa na sexta-feira, dia 26, com a projecção de 48, de Susana Sousa Dias, seguida de um debate com a realizadora sobre este projecto baseado num conjunto de fotografias de cadastro de presos políticos do Estado Novo.
Também presente para conversar com o público vai estar André Príncipe, autor do filme da sessão de encerramento: Campo de Flamingos sem Flamingos. Nasceu de uma viagem de caravana pelos recortes fronteiriços de Portugal, viagem essa que já tinha produzido o livro de fotografias O Perfume do Boi.
No alinhamento do ciclo destaca-se ainda Reconversão, o documentário de Thom Andersen sobre a arquitectura de Eduardo Souto de Moura.
Horário: sexta, às 21h30; sábado, às 14h e 18h; domingo, às 14h.
Grátis