Estas são as 12 maravilhas mais ameaçadas da Europa

A organização Europa Nostra anunciou os doze locais que foram nomeados para o programa Os Sete Mais Ameaçados. Feita a selecção final, serão objecto de uma "missão de resgate".

Foto
Orfanato grego Prinkipo (Turquia)

Na abertura do Ano Europeu do Património Cultural, a Europa Nostra, organização líder do património na Europa, e o Instituto do Banco Europeu de Investimento anunciaram a lista de 12 espaços que foram nomeados para o programa Os Sete Mais Ameaçados. Esta escolha foi feita por um painel de especialistas em diversas áreas e a selecção final dos sete locais que serão posteriormente objecto de uma "missão de resgate" será da responsabilidade da Europa Nostra. 

Orfanato grego Prinkipo, Turquia

O orfanato grego Prinkipo é considerado o maior edifício de madeira da Europa e o segundo maior do mundo. Localizado em Prinkipo, nas Ilhas dos Príncipes, ao largo da costa de Istambul, foi construído em 1899 (design do arquitecto francês Alexandre Vallaury). A estrutura de madeira apresenta colunas de madeira  decoradas no grande salão e tectos com painéis decorativos. O edifício funcionou como um orfanato até ao seu encerramento, em 1964. Desde então, a estrutura negligenciada deteriorou-se. Danificado por um incêndio em 1980, hoje o prédio está exposto a condições climáticas adversas. Secções do telhado já caíram e o orfanato agora corre o risco de colapso.

Centro histórico de Gjirokastra, Albânia

A cidade de Gjirokastra está situada no vale Drino, a área arqueológica mais rica da Albânia, que remonta à Idade do Bronze. O centro histórico de Gjirokastra inclui diversos tipos de construções, sendo o antigo bazar com linhas paralelas o seu núcleo. Dos 615 monumentos localizados no centro histórico, mais de metade são submetidos a construções ilegais ou fora do contexto, enquanto 169 estão em estado crítico ou em risco de colapso. Além disso, um polémico projecto foi recentemente aprovado pelas autoridades nacionais e locais — e que "prejudicará gravemente a integridade estrutural e visual do centro".

PÚBLICO -
Foto
Centro histórico de Gjirokastra (Albânia)

Igrejas pós-bizantinas em Voskopoja e Vithkuqi, Albânia

Várias igrejas pós-bizantinas em Voskopoja e Vithkuqi, no sudeste da Albânia, são os monumentos mais representativos da arte eclesiástica do século XVII nos Balcãs e são obras-primas do estilo pós-bizantino. A guerra, a pilhagem e os desastres naturais prejudicaram gravemente esse grupo de 12 igrejas. Segundo a Europa Nostra, a principal ameaça agora é "a negligência total por parte dos responsáveis administrativos das igrejas a nível nacional".

PÚBLICO -
Foto
Igrejas pós-bizantinas em Voskopoja e Vithkuqi (Albânia)

Centro histórico de Viena, Áustria

A importância arquitectónica do centro histórico de Viena encontra-se comprometida, nomeadamente devido à planificação e à construção de diversos prédios e até arranha-céus em diversos pontos estratégicos da cidade. "Após inúmeros e infrutíferos avisos junto da Câmara Municipal de Viena", em Julho do ano passado o Comité do Património Mundial inscreveu o centro histórico de Viena nesta lista.

PÚBLICO -
Foto
Centro histórico de Viena (Austria)

Refinaria de carvão de Beringen, Bélgica

A refinaria de carvão em Beringen é a única estrutura do género preservada na Europa — e mesmo numa escala global. A construção desta estrutura começou em 1923-1924, sendo posteriormente ampliada e classificada como um monumento histórico na década de 1990. Em 2009, a empresa responsável pela mina concluiu que a conservação da mesma não era possível. Os planos de desenvolvimento sugerem manter apenas um dos quatro edifícios. "Esta proposta", diz a Europa Nostra, "negligencia reconhecer a importância da integridade do edifício. A demolição do primeiro componente poderia constituir um precedente perigoso para a posterior destruição do edifício, levando à perda incremental de todo o espaço."

PÚBLICO -
Foto
Refinaria de carvão de Beringen (Bélgica)

Monumento de Buzludzha, Bulgária

Localizado nas montanhas no coração da Bulgária — e já visitado pela Fugas —, a "nave espacial" Buzludzha é um imponente exemplo da arquitectura modernista do século XX. Construído em 1981 para ser a sede do Partido Comunista da Bulgária, a estrutura foi usada por apenas oito anos. Logo após o fim do regime comunista, o monumento foi abandonado e tem sido vítima de furtos, vandalismo e condições climáticas severas. "Nenhuma acção foi tomada pelas autoridades responsáveis para proteger este local até agora." O trabalho de conservação e a preparação do monumento para o turismo sustentável são sugeridos como as soluções de longo prazo mais viáveis para a sua sobrevivência.

PÚBLICO -
Foto
Monumento de Buzludzha (Bulgária)

Teleférico em Chiatura, Geórgia

Em 1913, o crescente sector de mineração levou à criação de uma rede exclusiva de carga em Chiatura. A rede impressiona na sua diversidade de estilos arquitectónicos e soluções de engenharia. A maioria absoluta desta rede mantém os seus componentes arquitectónicos e tecnológicos originais. Devido à falta de manutenção, muitos dos teleféricos de passageiros deterioraram-se e foram fechados. Poucos dos teleféricos de carga funcionam hoje.

PÚBLICO -
Foto
Teleférico em Chiatura, Geórgia

Complexo de mosteiros David Gareji, Geórgia

Os mosteiros e o eremitério de David Gareji estão localizados no planalto semideserto de Iori e estendem-se parcialmente até ao vizinho Azerbaijão. Datado do século VI, o espaço é composto por 22 mosteiros de pedra e mais de 5000 santuários e cavernas. Actualmente o complexo enfrenta a ameaça de deterioração irreversível — o principal problema é a desintegração das rochas. O colapso das estruturas também ameaça as pinturas de parede.

PÚBLICO -
Foto
Complexo de mosteiros David Gareji (Geórgia)

Castelo de Sammezzano na Toscana, Itália

Após a Segunda Guerra Mundial, este castelo medieval transformou-se num hotel de luxo. No entanto, há mais de 25 anos o local foi desocupado e negligenciado. As janelas partidas não foram substituídas, os telhados destruídos não foram reforçados, o que, por sua vez, originou graves danos causados pela água e grande deterioração do tecido do edifício. A falta de segurança colocou o espaço à disposição de roubos e vandalismo.

PÚBLICO -
Foto
Castelo de Sammezzano na Toscana (Itália)

Casino Constanta, Roménia

Construído em 1910, o Casino Constanta tornou-se um marco da costa do mar Negro. Durante a década de 2000, o Casino foi abandonado — e assim continua devido à incapacidade das autoridades locais de encontrarem financiamento e lançar uma operação de resgate e restauração. O principal perigo para o edifício vem da corrosão e da oxidação de peças metálicas estruturais. Tempestades de mar e ventos destruíram a maior parte das janelas voltadas para o mar. É muito provável que o telhado colapse.

PÚBLICO -
Foto
Casino Constanta (Roménia)

Arte rupestre pré-histórica em Cádiz, Espanha

Este conjunto desenvolveu-se há mais de 20 mil anos e consiste em cerca de 300 cavernas e abrigos, dentro dos quais existem pinturas e gravuras de animais, figuras humanas e diversos símbolos. A deterioração biológica, o dano estrutural, o mau uso e os actos de vandalismo comprometeram grandemente esta importante arte rupestre. 

PÚBLICO -
Foto
Arte rupestre em Cádiz (Espanha)

Fábrica de gelo de Grimsby, Inglaterra

A Grimsby é a mais antiga fábrica de gelo sobrevivente no Reino Unido. Projectada pelo engenheiro W. F. Cott, a fábrica data de 1900 e é um edifício industrial de tijolos vermelhos listados. A Fábrica tem estado em declínio sério desde o seu encerramento, em 1990. O telhado está gravemente danificado, permitindo a entrada de água e grande parte do seu trabalho em metal e acessórios eléctricos foram roubados. Além disso, houve ameaças de demolição.

PÚBLICO -
Foto
Fábrica de gelo de Grimsby (Inglaterra)