Manuel Pinho terá recebido mais de 315 mil euros do chamado "saco azul" do GES

Antigo ministro de José Sócrates garante ao Observador que declarou tudo o que recebeu, rejeitando qualquer ilegalidade.

Foto
ADRIANO MIRANDA / PúBLICO

Manuel Pinho, que foi ministro da Economia do primeiro Governo de José Sócrates, terá recebido mais de 315 mil euros do chamado “saco azul” do Grupo Espírito Santo (GES), a Espírito Santo Enterprises, noticia nesta quarta-feira o Observador.

De acordo com a mesma notícia, os pagamentos terão sido realizados entre Fevereiro de 2013 e Abril de 2014, sendo que as respectivas transferências foram feitas por contas abertas pela Enterprises Management Services – denominação da ES Enterprises a partir de 2007.  

A existência da ES Enterprises foi pela primeira vez referida pelo PÚBLICO a 7 de Novembro de 2014 (e a 12/12/2014) no quadro de uma investigação que concluiu que durante vários anos o GES usou este veículo para proceder a “pagamentos extras” e “não documentados”.

Em relação ao antigo ministro, o PÚBLICO noticiou também em Abril de 2016 que Pinho tinha recebido cerca de 180 mil euros através da ES Enterprises.

Em resposta ao Observador, Pinho garante que todos os valores recebidos foram declarados, explicando ainda porque é que recebeu tais quantias.

O mesmo jornal dá conta ainda de que Pedro Pereira Gonçalves, secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade no primeiro Governo de Passos Coelho, recebeu 54.400 euros entre 2006 e 2011, período durante o qual desempenhou várias funções no GES.

O antigo secretário de Estado nega ao Observador qualquer ilegalidade no que respeita a estes pagamentos, garantindo que nunca teve “qualquer relação laboral com a ES Enterprises ou Enterprises Management Services”.