Eduardo Martins lança Leitão Amaro para a liderança da bancada

Marcelo recebe Rui Rio a 19 de Fevereiro. No PSD, há toque de ordem a reunir em torno do novo líder e já se olha para o depois do congresso.

Fotogaleria
António Leitão Amaro no Parlamento,António Leitão Amaro no Parlamento Nuno Ferreira Santos,Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
José Eduardo Martins elaborou o programa eleitoral do PSD-Lisboa para a corrida à câmara lisboeta nas autárquicas do ano passado. Mario Lopes Pereira

Eleito o novo líder, no PSD é hora de tocar a reunir em torno de Rui Rio e de olhar para frente, para depois do congresso. É isso que faz já José Eduardo Martins ao lançar o nome de António Leitão Amaro para possível líder da bancada parlamentar do PSD. Hugo Soares, eleito no final de Julho para suceder a Luís Montenegro, foi apoiante de Pedro Santana Lopes, tendo revelado o seu candidato preferido apenas a meio de Dezembro.

Na TSF, o ex-deputado e antigo secretário de Estado José Eduardo Martins defendeu que António Leitão Amaro é um dos “mais destacados deputados, cuja intervenção ao longo desta legislatura foi absolutamente marcante, muito importante para o PSD e um daqueles que reconciliou [o partido] com as novas gerações”. António Leitão Amaro foi secretário de Estado da Administração Local de Passos Coelho entre 2013 e 2015.

Leitão Amaro e Adão Silva foram os únicos vice-presidentes entre os 12 da bancada parlamentar social-democrata que apoiaram Rui Rio – três não tomaram posição e os restantes sete, tal como Hugo Soares, estiveram do lado de Santana Lopes.

Salientando que no grupo parlamentar “há muitas soluções”, José Eduardo Martins gostaria que a actual direcção se demitisse de forma a que se realizassem eleições novamente. “Se for o António Leitão Amaro a comandar a bancada do PSD no Parlamento, o PSD está muitíssimo bem servido, o novo líder está muitíssimo bem servido e o dr. António Costa que se cuide”, acrescentou o ex-secretário de Estado à TSF.

Rio com Marcelo a 19 de Fevereiro

Segundo uma curtíssima nota publicada no site da Presidência da República já na madrugada deste domingo, Marcelo Rebelo de Sousa “felicitou por telefone o novo líder eleito do PSD”, e irá recebê-lo em audiência a 19 de Fevereiro, o dia seguinte ao congresso do partido, onde se fará a confirmação e tomada de posse de Rui Rio como presidente do partido.

Rangel e o "momento feliz" que revitaliza o PSD

"É um dia feliz para o PSD por ter saído muito vitalizado e agora há a possibilidade de construção de uma alternativa e de unidade interna perfeitamente ao alcance do novo líder. Isso deve-se muito aos candidatos porque eles tiveram o cuidado de conduzir as suas campanhas não criando nenhum ponto de não retorno." Foi assim que o eurodeputado Paulo Rangel descreveu à agência Lusa o actual momento de rescaldo das eleições directas no partido.

Paulo Rangel felicitou Rui Rio pela "vitória expressiva que obteve" e Pedro Santana Lopes pela "coragem que teve e pelo resultado honroso e sólido". O eurodeputado ouviu o discurso do novo líder, "curto e muito claro" e nele leu o "desafio da construção de uma alternativa real e forte à frente de esquerda, mas que não seja populista".

"Todos os militantes do PSD devem responder a este desafio", defendeu Paulo Rangel, para quem o "novo ciclo é de saudar". "É um momento feliz para o PSD, sem dúvida que é. Acho que a campanha foi muito viva e forte, mas não foi com feridas que possam atacar a unidade do partido", afirmou, considerando que no momento da assumpção da derrota e da vitória os protagonistas foram também "extremamente pacificadores".

JSD "inequivocamente" ao lado de Rio

Depois de ter anunciado o seu apoio pessoal a Santana Lopes em Novembro, o líder da Juventude Social-Democrata (JSD) garantiu no sábado à noite que a estrutura partidária que dirige "estará inequivocamente" ao lado de Rui Rio. Em declarações à Lusa, Simão Ribeiro felicitou o partido, o novo líder e salientou a participação dos militantes (votaram cerca de 45 mil dos 70 mil inscritos), que mostraram que o partido está "vivo" e "forte".

"A título pessoal, não foi o candidato que apoiei, mas hoje ele é o presidente do PSD e contará com toda a disponibilidade, toda a entrega e toda a ajuda, a bem de Portugal, da JSD. A JSD estará aqui inequivocamente ao lado do doutor Rui Rio, o novo líder do PSD", assegurou.