Uma editora, dois livros e um país fotografado

“Leve Portugal consigo”, diz a editora Objecto Anónimo, que, para além de livros, também comercializa os tradicionais ímanes para se colar no frigorífico ou os postais que (ainda) se enviam.

Foto
DR

Ao folhear Portugal Encantado, de Pedro Rodrigues, podemos ficar tentados a fazer com que aqueles “locais que têm magia e encantos próprios” cheguem às caixas de correio, mas o melhor é explorar, sem pressas, os diferentes cenários que pintam o olhar.

Perdemo-nos nos socalcos do Sistelo, em Arcos de Valdevez, mas, poucas páginas depois, o manto branco que pousa nos telhados da aldeia de Pitões das Júnias, em Montalegre, complementa o imaginário ligado aos filmes de Natal. Mais a sul, a herança islâmica de Mértola, Beja, ou a praia da Marinha, no Algarve, a encosta de leixões e falésias onde bate o mar — há muito mais neste livro, uma viagem por todo o país, com diferentes temperaturas para sentir através do olhar.

São as temperaturas — ou, melhor, as estações — que pautam a divisão de outro livro da mesma editora. Em Porto Seasons, de Sérgio Fonseca, vê-se a cidade ao longo de 365 dias. Inicia-se a visita com flores a desabrochar pela Praça da República, da mesma forma que os finalistas, que abanam as fitas, brotam para outra fase da vida.

Passa-se pelo Verão com as fotografias do São João e parece que sentimos o cheiro a sardinha assada no ar. Há miúdos corajosos a saltar da Dom Luís para o Douro, mas pouco depois sabe-se que, a cada folha pisada, chegamos ao Outono, e sabêmo-lo no Jardim Botânico. Por fim, o Inverno, a chuva a confundir a vista e milhares de cabeças que se vêm, ao longe, na passagem de ano — no próximo, as mesmas tradições manter-se-ão.

Texto editado por Sandra Silva Costa