Rui Vitória e a crispação no futebol: "Eu não passo dos limites"

Treinador do Benfica sublinha que não falta ao respeito a ninguém e deixa rasgados elogios ao Sp. Braga.

Foto
LUSA/ANTONIO COTRIM

Foi com uma espécie de declaração de princípio que Rui Vitória aceitou comentar o ambiente de tensão que se vive no futebol português e, em particular, as críticas de que foi alvo recentemente por parte de um colega de profissão. "Eu não faltei ao respeito a ninguém, nem aceito que o digam. Não ultrapassei nenhuns limites e não aceito que ponham todos no mesmo saco", assinalou o treinador do Benfica, numa conferência de imprensa que serviu para antecipar o embate de sábado com o Sp. Braga, a contar para a segunda volta da Liga.

O mote para a declaração do técnico dos "encarnados" foi o pedido público de desculpas apresentado por Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, que antes tinha comparado o homólogo a um boneco, com um modo mais agressivo e outro mais pacifista. Uma comparação "infeliz", reconheceu o técnico dos "dragões", e que levou Rui Vitória a pôr os pontos nos ii, sem particularizar ou definir alvos concretos.

"Este episódio não começou aqui, isso que fique claro, mas da minha parte vai já terminar aqui. Eu faltei ao respeito a alguém? Eu não faltei ao respeito a ninguém, nem aceito que o digam. Não ultrapassei nenhuns limites e não aceito que ponham todos no mesmo saco. O treinador do FC Porto disse o que disse, que assuma as suas responsabilidades, eu não passo desses limites. Eu sou um treinador de uma equipa grande, mas uma pessoa normal. Eu fiz uma carreira a pulso, desde a II divisão, com muito trabalho, e não altero a minha maneira de ser. Ninguém me deu nada e eu não pedi nada a ninguém. Sei o clube que represento, a importância que tem o meu cargo e as responsabilidades que tenho. Da minha parte houve sempre respeito. Não vale tudo", concretizou.

Encerrado este capítulo, o treinador dos "encarnados" deixou elogios ao Sp. Braga, adversário que está a três pontos de distância na classificação e ao qual reconhece grande mérito. "O Sp. Braga é uma equipa de qualidade, eficaz, que sabe bem o que faz em campo, com jogadores de qualidade. Vai causar-nos problemas, mas também vai encontrar um Benfica com qualidade, com enorme ambição, que sabe o que tem de fazer para ganhar este jogo. Acho que vai ser um jogo interessantíssimo de seguir".

Os encómios foram extensíveis a Abel Ferreira, "um treinador de qualidade", e a análise do adversário um pouco mais detalhada, antes de deixar a sala de imprensa agastado com a atenção que alguns media têm dado à guerra de bastidores no futebol português. "Espero do Sp. Braga uma resposta ambiciosa, uma equipa com algumas particularidades a que estamos atentos, com duas linhas de quatro e depois com dois homens na frente, que depois podem mudar ao longo do encontro, forte nas bolas paradas. Mas nós vamos para o jogo com ambição".