O mês do piano na Gulbenkian

Mitsuko Uchida, Elisabeth Leonskaja, Daniil Trifonov, Beatrice Rana, Yuja Wang, Mário Laginha e Pedro Burmester são alguns dos convidados do ciclo Pianomania!

Foto
Betrice Rana dr

O piano ocupa anualmente um lugar de destaque na programação da Gulbenkian, mas este ano essa presença encontra-se ainda mais reforçada através do ciclo Pianomania!, que se inicia esta sexta-feira, às 21h, com a actuação do pianista Menahem Pressler com a Orquestra Gulbenkian (com repetição amanhã, às 19h). Sete concertos com pianistas de prestígio internacional, que se apresentam em recitais a solo ou com orquestra, e uma programação complementar que inclui filmes documentais e ficcionais e outras actividades pretendem mostrar personalidades interpretativas de várias gerações, mas também outras facetas do instrumento.

Será possível ouvir um artista que mantém uma carreira de extraordinária de longevidade, como Menahem Pressler, mas também alguns dos talentos mais admirados das novas gerações como Daniil Trifonov, que interpreta o Concerto de Schumann nos dias 19 e 20; Betrice Rana, com um recital dedicado a Schumann, Ravel e Stravinsky (dia 23); e Yuja Wang, cuja indumentária arrojada face às tradições mais convencionais dos concertos de música clássica tem gerado por vezes polémica, que irá tocar o  Concerto n.º5, de Prokofiev nos dias 25 e 26.

No programa destacam-se, contudo, figuras de referência como Elisabeth Leonskaja, com as últimas sonatas de Beethoven (dia 16), e Mitsuko Uchida, conceituada intérprete das Sonatas de Schubert (dia 21). Mário Laginha e Pedro Burmester, um duo que mantém há vários anos uma parceria de sucesso junto de um público amplo, marcarão também a sua presença no dia 14, às 18h, com a estreia mundial do Concerto para Dois Pianos de Laginha, inserido num programa que contempla ainda obras de Chopin, Piazzolla, Debussy e Ravel.

A programação complementar inicia-se amanhã, dia 13, às 16h, com a exibição do filme Thirty-Two Short Films about Glenn Gould, realizado por François Girard, e prossegue no domingo, a partir das 10h00, com a pianista Joana Gama, que apresenta, ao longo de 14 horas, uma performance em torno da obra Vexations, de Erik Satie, estreada em 1963 em Nova Iorque por iniciativa de John Cage.

Assinala-se ainda no dia 21 uma tarde dedicada à descoberta do percurso de vida e da personalidade musical da pianista chinesa Zhu Xiao-Mei.  Depois de anos de endoutrinação e “reeducação” em campos de trabalho no âmbito da Revolução Cultural do regime de Mao, Zhu Xiao-Mei emigrou em 1980 para Paris, que se torna a sua nova casa. O primeiro documentário sobre a pianista, Zhu Xiao-Mei: How Bach Defeated Mao, de Paul Smaczny, será exibido às 15h e narra a história do seu regresso à China 35 anos depois, quando já era reconhecida internacionalmente pela sua interpretação da obra de Bach. Às 16h tem lugar uma conversa com Michel Mollard, realizador de um filme sobre a pianista, premiado no Festival Internacional de Filmes de Arte de Montréal em 2014. Será ainda apresentado o documentário J. S. Bach – Goldberg Variatons – Zhu Xiao-Mei, de Paul Smaczny. O livro autobiográfico de Zhu Xiao-Mei, O Rio e o Seu Segredo, encontra-se traduzido em português (Guerra e Paz, 2008).

Filmes célebres e premiados como O Pianista, de Roman Polanski, e O Piano, de Jane Campion, serão apresentados, respectivamente, a 15 e 22 de Janeiro.