Corrente interna do CDS quer homenagear históricos do partido

Tendência Esperança em Movimento vai avançar com proposta no congresso para distinguir Amaro da Costa e Adriano Moreira.

Foto
Miguel Manso

A Tendência Esperança em Movimento (TEM), corrente interna que se pretende formalizar no CDS, quer que o partido atribua o título de presidente emérito ao fundador Adelino Amaro da Costa e de presidente de honra ao ex-líder Adriano Moreira. A proposta será apresentada no próximo congresso, em Março. Esta quinta-feira à noite, os centristas reúnem-se em conselho nacional para preparar a reunião magna.

“Um partido tem de ter orgulho na sua existência e na sua história, não podemos invocar a resistência ao cerco pela esquerda violenta do Palácio de Cristal no Porto ou o facto de termos sido o único partido a votar contra a constituição socialista/ marxista e não termos no site do partido toda a nossa história, os protagonistas, as figuras todas que fizeram o CDS acontecer ao longo destes 40 anos”, afirmou ao PÚBLICO Abel Matos Santos, porta-voz da tendência.

Abel Matos Santos considera que a atribuição do título de presidente emérito a Adelino Amaro da Costa, que morreu na queda do avião em que também seguia Sá Carneiro, “é algo que todos os militantes e portugueses, mesmo os que não são do CDS, verão com naturalidade e como elementar acto de justiça”. Sobre Adriano Moreira, o porta-voz da TEM considera que o ex-líder “representa bem a matriz personalista humanista de inspiração cristã do CDS”.

Na mesma proposta, os fundadores da corrente interna do CDS apelam a que as fotografias de todos os ex-líderes do partido voltem ao átrio da entrada da sede em Lisboa, de onde foram retiradas há seis meses, e que no mesmo local também sejam afixados os nomes dos 27 fundadores do partido.  

A TEM ainda aguarda pela decisão de formalização, depois de um parecer negativo do conselho de jurisdição sobre os procedimentos administrativos a adoptar na recolha de assinaturas. Esta será uma das propostas que surgirá no congresso de 10 e 11 de Março, onde Assunção Cristas deverá ver confirmado um segundo mandato à frente do CDS.

Esta quinta-feira à noite, o conselho nacional do CDS reúne-se para discutir a eleição de delegados e a organização do congresso, ainda sem local marcado.