Trump garante que o seu “botão nuclear” é “maior” do que o de Kim

O Presidente dos EUA não resistiu à provocação do líder norte-coreano e resolveu subir a parada num tweet que alguns consideraram perigoso.

Trump não se cansa da rede social Twitter
Fotogaleria
Trump não se cansa da rede social Twitter Jim Bourg/Reuters
Kim ofereceu "botão nuclear" a Trump no início do ano
Fotogaleria
Kim ofereceu "botão nuclear" a Trump no início do ano Reuters

Não é inédito que Donald Trump e Kim Jong-un troquem epítetos menos agradáveis — o primeiro escreveu sobre o segundo que “o doido será testado como nunca antes”; Kim respondeu prometendo “amansar de certeza e definitivamente o senil e mentalmente perturbado” líder dos EUA.

Aparentemente, o Presidente norte-americano tem gostado da experiência e pretende continuar a dirigir-se ao líder da Coreia do Norte num tom jocoso, mesmo se o tema for o arsenal nuclear dos Estados Unidos ou de Pyongyang, que em Setembro realizou o seu sexto ensaio atómico, o mais poderoso de todos os que o antecederam.

No discurso de Ano Novo, enquanto lançava uma tentativa de aproximação a Seul, Kim decidiu provocar Trump, gabando-se de já ser líder de uma “potência nuclear completa” (algo que não é possível confirmar). “Toda a área continental dos Estados Unidos está ao alcance das nossas armas nucleares e o botão nuclear está sempre na secretária. Isto é a realidade, não é uma ameaça”, afirmou. Descrevendo o seu regime como “uma potência nacional responsável e que ama a paz”, esclareceu: “Estas armas só serão usadas se a nossa segurança for ameaçada.”

Depois de um inócuo “veremos, veremos”, o primeiro comentário de Trump, obtido pelos jornalistas à margem da festa de Ano Novo organizada na sua residência de Mar-a-Lago, na Florida, o chefe de Estado americano recorreu ao seu modo de comunicação preferido para dar uma resposta mais completa a Kim.

“O líder da Coreia do Norte acaba de afirmar que ‘o Botão Nuclear está na secretária dele em permanência’. Poderá alguém do seu esgotado e esfomeado regime informá-lo de que eu também tenho um Botão Nuclear, mas é muito maior & mais poderoso do que o dele, e o meu Botão funciona!”, escreveu Trump quando ainda era terça-feira nos EUA.

Este foi um de uma série de tweets publicados pelo Presidente quase em simultâneo, incluindo um em que anuncia que vai atribuir “OS PRÉMIOS PARA OS MEDIA MAIS DESONESTOS & CORRUPTOS DO ANO”.

O mundo já se habitou a consultar a página de Twitter de Trump quando acorda, mas isso não significa já estar pronto para tudo. O post sobre o tamanho dos botões nucleares (na verdade, o processo para lançar um ataque nuclear não envolve carregar em botões, mas sim uma troca de códigos impressos num cartão) motivou muitas críticas, e alguns questionam-se como é possível manter uma diplomacia funcional com este tipo de comentários.

“Parece-me que o Presidente olha para isto como um sinal de força”, diz à CNN Jim Himes, democrata da Câmara dos Representantes que integra o Comité de Serviços Secretos. “Mas, como qualquer pessoa que já tenha estado num recreio do primeiro ano pode reconhecer, normalmente é a pessoa que grita mais alto que acaba por se demonstrar a mais fraca no recreio.” Um antigo conselheiro da ex-secretária de Estado de George W. Bush, Condoleezza Rice, Eliot Cohen, descreveu este tweet como “infantil mas mortalmente sério” na sua gravidade.

Sugerir correcção