Antigo director de campanha de Trump processa Robert Mueller

Para além do responsável pela investigação sobre a possível interferência russa nas eleições norte-americanas de 2016, Manafort processou o procurador-geral adjunto, argumentando que foram ultrapassados os limites de autoridade.

Manafort entregou-se às autoridades em Outubro e foi detido na sequência das investigações à ingerência russa
Foto
Manafort entregou-se às autoridades em Outubro e foi detido na sequência das investigações à ingerência russa LUSA/SHAWN THEW

O antigo director de campanha de Donald Trump, Paul Manafort, processou Robert Mueller, o procurador especial que lidera a investigação ao possível conluio entre a campanha de Trump e a Rússia, argumentando que a nomeação do agora responsável pelo inquérito excedeu os limites legais, noticia a Reuters.

O processo interposto por Manafort visa também o procurador-geral adjunto, Rod Rosenstein, por ter sido este a escolher Mueller para liderar a investigação.

Em Outubro, Manafort entregou-se às autoridades, e foi consequentemente detido, para enfrentar acusações relacionadas com a investigação sobre a interferência da Rússia nas eleições norte-americanas em 2016. Na altura declarou-se como inocente relativamente a 12 crimes de que é acusado, entre eles enganar o Governo, omissão de registo como “agentes estrangeiros”, lavagem de dinheiro e não declaração de rendimento vindo do estrangeiro.

Agora, o antigo director de campanha do agora Presidente norte-americano diz que Rosenstein excedeu a sua autoridade legal para “garantir a Mueller carta branca para investigar e procurar acusações criminais em relação a qualquer coisa com que tropece”, lê-se no processo entregue em tribunal e citado pela Reuters.

Além disto, Manafort pede aos magistrados que indefiram o processo contra si. 

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações