Torne-se perito

Nepal proíbe alpinistas sozinhos de subir ao Monte Evereste

O objectivo do novo regulamento é reduzir o número de acidentes com alpinistas. Nesta temporada, morreram até ao momento seis pessoas. Desde 1920 foram mais de 200.

Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
LUSA/Balazs Mohai

O Nepal proibiu alpinistas sozinhos de subirem as montanhas daquele país, incluindo o Monte Evereste. O objectivo do novo regulamento, que também proíbe que duplos amputados e alpinistas com deficiência façam escala sozinhos, é tentar reduzir o número de acidentes e mortes. Desde o início desta temporada e até ao momento seis pessoas morreram.

Segundo o site da BBC, os novos regulamentos obrigam os alpinistas estrangeiros a serem acompanhados por um guia. As autoridades esperam que esta nova regra venha criar mais oportunidades de emprego para os guias de montanha nepaleses.

Um número recorde de alpinistas tentou escalar o Evereste este ano. Mas algumas tentativas acabaram em morte. Um deles, Min Bahadur Sherchan, de 85 anos, que morreu quando tentava recuperar o título de pessoa mais velha do mundo para alcançar o topo do monte.

Já a decisão do Governo de proibir duplos amputados e alpinistas com deficiência visual tem sido criticada por algumas pessoas.

Desde 1920 mais de 200 pessoas morreram no Evereste. De acordo com as estatísticas fornecidas à BBC, pela base de dados Himalaya, em 2015, a maior parte das mortes deveu-se a avalanchas (29%) e quedas (23%).

Sugerir correcção