Sete ideias para sair esta semana

Queimado o ano velho, receba o novo com música, gelo e... medo. Que a força esteja consigo.

Foto
DR

Ano velho em cinzas

Melgaço, Castro Laboreiro
Dia 30 de Dezembro

Ao som de gaitas de foles, um cortejo percorre as ruas. As gentes da terra castreja reúnem-se. Turistas juntam-se a elas. Carregam um condenado. Chama-se Ano Velho e vai ser reduzido a cinzas numa grande fogueira. Um grupo de teatro de rua faz as honras do drama.
Cumpre-se assim em Castro Laboreiro, em plena Serra da Peneda, um ritual antigo que representa, segundo a organização, "a esperança de um ano melhor".
Uma boa forma de fazer a despedida de 2017 e, de caminho, conhecer esta aldeia remota de Portugal, com o seu castelo a vigiar igrejas, pontes, brandas, inverneiras e tradições.
Horário: às 23h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Carla Carvalho Tomás

Cinco, quatro, três…

Vários locais
Dia 31 de Dezembro

Na grande contagem decrescente, há quem não prescinda das grandes celebrações a céu aberto e com boa música. De preferência sem mexer na carteira e com fogo-de-artifício incluído. Para todos há destinos.
Em Albufeira, a Praça dos Pescadores enche-se para ver os Xutos & Pontapés fazerem prova de vida numa noite que se anuncia de celebração, mas também de comoção: é o primeiro concerto da banda desde a partida de Zé Pedro.
Em Lisboa, a música (portuguesa) é outra, com grandes canções a ganharem nova vida nas vozes de Ana Bacalhau, Ana Deus, Lena D'Água, Viviane, Xana, Rui Pregal da Cunha, Samuel Úria e muitos outros. Na outra margem, em Almada, são Os Azeitonas a fazer a festa.
Em Coimbra, é o Mondego o rio-cenário da pirotecnia, com os HMB a ditarem o ritmo.
Na Guarda, a passagem de ano tem um anfitrião à altura das boas vibrações pedidas para a ocasião: o reggae de Richie Campbell.
No Porto, a grande festa popular começa com a soul de Aurea e segue com os Amor Electro. Isto na Avenida dos Aliados. Em alternativa, há concertos e actuações de DJ em praças da Invicta.
Mais ideias para entrar em 2018 saindo à rua (e outras) em www.lazer.publico.pt.

 

PÚBLICO -
Foto
Fábio Augusto

Wonderland, última chamada

Lisboa, Parque Eduardo VII
Até 1 de Janeiro

No topo da Avenida da Liberdade, uma roda gigante volta a dar vista não só para Lisboa, como para todo o "país das maravilhas" que se estende pelo Parque Eduardo VII: a Wonderland.
Estes são os últimos dias para visitar um mercado que é também um conjunto de atracções para toda a família.
Dezenas de bancas de artesanato e street food disputam a atenção com um globo de neve gigante, uma enorme árvore de Natal, carrosséis, animação de rua, e, para entrar no novo ano a deslizar, uma pista de gelo.
Horário: sábado, das 10h às 24h; domingo, das 10h às 22h; segunda, das 16h às 22h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
DR

O grande Inverno

Viseu, Pavilhão Multiusos
Até 7 de Janeiro

Por falar em gelo, que tal começar o novo ano a recuar no tempo? A ideia é viajar à Idade do Gelo e travar conhecimento com os seus encorpados e extintos habitantes: mamutes, tigres-dentes-de-sabre, papa-formigas gigantes e muitos outros.
Em 2500 metros quadrados de exposição encontram-se réplicas em tamanho real, enquadradas por reproduções dos seus habitats.
Mas Gigantes da Idade do Gelo não se faz só de animais propriamente ditos: é também uma aula de História sobre a evolução da Terra e o dia-a-dia dos nossos antepassados.
Horário: segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado e domingo, das 11h às 20h. Encerra a 31 de Dezembro. Horário especial no dia 1 de Janeiro, das 00h30 às 2h.
Bilhetes a 8€ (6€ para crianças dos três aos 11 anos)

PÚBLICO -
Foto

Medo do que aí vem

Lisboa, Cinemateca
De 3 a 31 de Janeiro

Não, não é caso para pessimismo. É caso, isso sim, para celebrar o medo no cinema. É com esta emoção que a Cinemateca abre 2018.
O ciclo O Medo começa quarta-feira, às 15h30, com um filme que hoje pode parecer inofensivo, mas que na sua época (fim do século XIX) terá causado pânico à plateia, ao ver um comboio avançar na sua direcção: L'Arrivée d’Un Train en Gare de la Ciotat, dos irmãos Lumière. Segue-se um clássico do cinema de horror: Psycho, de Alfred Hitchcock.
Até ao final de Janeiro, serão muitas as formas de medo projectadas nas salas da Cinemateca – das mais flagrantes às menos óbvias – pelo olhar de realizadores como David Lynch, Dario Argento, George Romero, Ridley Scott, Tobe Hooper, David Cronenberg, Abbas Kiarostami, Manoel de Oliveira ou Walt Disney.
Bilhetes a 3,20€

PÚBLICO -
Foto
DR

Numa galáxia muito, muito distante...

Tondela, Museu do Caramulo
Até 27 de Maio

Uma das colecções mais importantes do Museu do Caramulo é a de brinquedos. Mas não lhes chamemos assim, que o assunto é sério. Pelo menos para os fãs indefectíveis de Guerra das Estrelas.
É obrigatória uma visita a The Power of the Force, uma exposição montada para assinalar os 40 anos do primeiro filme da saga de ficção científica (e na altura em que acaba de chegar aos cinemas mais um capítulo, Star Wars: Episódio VIII - Os Últimos Jedi).
A evidenciar o culto estão action figures, cartazes originais e outros artigos relacionados com o franchise. No total, podem ser vistos 1200 objectos, produzidos entre 1977 e 1985, muitos a mimetizar cenas icónicas dos filmes.
Não vêm de outra galáxia, mas têm origens diversas: norte-americanas (naturalmente), argentinas, brasileiras, canadianas, espanholas, francesas, inglesas, italianas e japonesas, bem como versões não autorizadas recolhidas em paragens como México, Hungria, Polónia ou Hong Kong.
Horário: todos os dias, das 10h às 13h e das 14h às 17h (no Verão, até às 18h). Encerra a 1 Janeiro e no Domingo de Páscoa de manhã.
Bilhetes a 7€ (3€ para crianças dos seis aos 12 anos)

 

PÚBLICO -
Foto

Ano novo em festival

Teatro de Vila Real
De 5 a 27 de Janeiro

"Música séria para gente divertida". Foi com esta declaração de princípios que nasceu, há 11 anos, o FAN - Festival de Ano Novo. Na sua génese esteve também o desejo de dinamizar a região de Trás-os-Montes e Alto Douro através da música e não só. A missão continua nesta edição, preenchida por sete espectáculos.
Sexta-feira, o Russian Classical Ballet abre a função com a sua versão de O Quebra-Nozes, bailado de Tchaikovsky baseado num conto de E. T. A. Hoffman.
O programa segue com concertos do violoncelista Filipe Quaresma (dia 12), do violinista Afonso Fesch (13), da dupla alemã de piano e violoncelo Ceeys (19), do Space Ensemble (20), do francês Quentin Sirjacq (26) e da espanhola Orquestra de Câmara Galega (27).
Bilhetes de 3€ a 15€; Passe a 30€