Paulo Pimenta
Foto
Paulo Pimenta

Cave 45, no Porto, fecha portas na noite de passagem de ano

A despedida do Cave 45, no Porto, começa na quinta-feira, 28 de Dezembro, com o regresso dos Cães Vadios. Derradeira noite conta com actuações de Hellcharge, Roädscüm e Black Panda

O bar e sala de concertos Cave 45, no Porto, vai fechar as portas depois da passagem de ano e vai "abrir uma lacuna na música rock na cidade", disse à Lusa um dos sócios.

O encerramento, já anunciado em Outubro, gerou "muita especulação em relação às causas, algumas delas erradas", disse à Lusa Óscar Pinho, principalmente devido a uma petição online, que apontava a reconversão do prédio numa unidade hoteleira como a razão do fecho. "O fecho não se deve directamente à questão imobiliária. Segundo a petição, o Cave 45 iria ser transformado num hostel e isso não é verdade", referiu, até porque a "razão principal" é financeira, campo onde as coisas "não estavam a correr muito bem".

"Ironicamente", no entanto, depois de se saber que o espaço ia fechar, "as coisas têm corrido muito bem", comentou Óscar Pinho, que, com Iolanda Pereira e Rodas, abriu o Cave 45 em Dezembro de 2014. A programação ligada ao rock, punk e metal, aliada a uma "localização excelente", fez com que o espaço se afirmasse desde a abertura. "É verdade que nós preenchemos uma lacuna que existia no Porto e com o nosso fecho essa lacuna vai voltar a existir, mas espero que abram outros sítios", resumiu.

Para o último mês da vida do espaço, "não houve propriamente um cuidado especial". "As coisas foram acontecendo. Algumas bandas nunca cá tinham tocado, como os Black Bombaim ou Juseph, e que já tinham querido cá tocar ou tínhamos convidado várias vezes, apressaram-se a fazê-lo", apontou.

A despedida terá, na quinta-feira, 28 de Dezembro, a noite Rock and Roll Circus, ciclo "periódico" do espaço, com o regresso dos Cães Vadios, banda de punk portuense que vai actuar pela primeira vez em 22 anos e inclui Óscar Pinho no papel de baixista. Na sexta-feira, os Juseph sobem ao palco ao lado dos Muay, antes do regresso dos Peste & Sida ao espaço, no sábado, depois de terem actuado "no início da Cave".

Na noite de domingo para segunda-feira, de passagem de ano, a programação da última noite do Cave 45 incide num "concerto especial" dos amigos Hellcharge, dos lisboetas Roädscüm e dos espanhóis Black Panda, banda da Corunha que já passou pela casa portuense. Dada a natureza especial da noite, o bar optou por "começar [os concertos] mais tarde, com um bilhete mais barato, para quem quiser celebrar a passagem de ano e beber um último copo".