As 500 pessoas mais ricas do mundo ficaram ainda mais ricas em 2017

O fosso entre os muito ricos e todas as outras pessoas expandiu-se para o maior de sempre no último século.

Foto
Jeff Bezos, fundador da Amazon, é o homem mais rico do mundo Mike Segar / Reuters

As 500 pessoas mais ricas do mundo viram a sua fortuna aumentar em um trilião de dólares (o equivalente a 842 mil milhões de euros) durante eeste ano, devido a um grande aumento do valor dos mercados de acções globais, que irá provavelmente atingir níveis recorde no fim de 2017, noticia o Guardian. O aumento das fortunas dos super-ricos acontece numa altura em que milhões de pessoas mais pobres em todo o mundo viram as suas condições estagnar ou piorar. O fosso entre os muito ricos e todas as outras pessoas expandiu-se para o maior de sempre no último século.

Segundo o índice de bilionários da Bloomberg, as 500 pessoas mais ricas do mundo viram o valor da sua fortuna aumentar em 23% neste ano, o que corresponde a um aumento  de 5,3 triliões de dólares (447 mil milhões de euros). O aumento deve-se em grande parte ao resultado dos mercados de acções. O MSCI World Index e o US Standard & Poor’s 500 subiram ambos quase 20% este ano.

Jeff Bezos, fundador da Amazon, é o homem mais rico do mundo. A sua fortuna aumentou 34,2 mil milhões de dólares (28,8 mil milhões de euros) neste ano, até à data, elevando assim o seu “património líquido” para 99,6 mil milhões de dólares (83,9 mil milhões de euros), indica o mesmo jornal britânico. Em conjunto, as cinco pessoas mais ricas do mundo – Bezos (Amazon), Bill Gates (Microsoft), Warren Buffett (Berkshire Hathaway), Amancio Ortega (Zara) e Mark Zuckerberg (Facebook) – detêm 425 mil milhões de dólares (358 mil milhões de euros).

Um relatório do Credit Suisse revelou que 1% das pessoas mais ricas do mundo viram a sua parte da fortuna total do mundo crescer de 42,5%, no auge da crise financeira de 2008, para 50,1% em 2017. O banco referiu também que a “desigualdade da riqueza global tem certamente sido alta e tem crescido na pós-crise”.

A riqueza total mundial é, à data, de 280 triliões de dólares (236 milhões de milhões de euros). Os 3,5 mil milhões de adultos mais pobres têm todos activos no valor de menos de 10.000 dólares (8428 euros). Esse conjunto de pessoas, que representa 70% da população em idade activa, representa apenas 2,7% da riqueza global.