Jogadores do Rio Ave aliciados para perder jogos

SIC avança que quatro jogadores da equipa vilacondense terão sido pagos para perder uma partida com o Feirense na época passada.

Foto
Quatro jogadores do Rio Ave terão sido pagos para perder um jogo LUSA/PEDRO SARMENTO COSTA

Quatro jogadores do Rio Ave terão sido pagos para perder um jogo do campeonato da época passada frente ao Feirense, avançou nesta quarta-feira a SIC. Os jogadores, acrescentou a estação de televisão, foram constituídos arguidos, uma informação confirmada pelo PÚBLICO junto de fonte policial. A mesma fonte acrescentou que os jogadores já foram ouvidos por um juiz, que lhes aplicou a medida de coacção mais branda: termo de identidade e residência. Ainda segundo a investigação da SIC, há mais jogos da I Liga portuguesa a serem analisados pela Polícia Judiciária do Porto.

O jogo em causa será um Feirense-Rio Ave da 20.ª jornada da época 2016-17, a 6 de Fevereiro deste ano, e que resultou num triunfo dos “fogaceiros” por 2-1. Na altura, cinco horas e meia antes do início da partida, a Santa Casa da Misericória suspendeu as apostas no Placard para este jogo, depois de ter sido alertada pela Sportradar (empresa que trabalha com a FPF na monitorização de apostas) para irregularidades, uma suspensão que se estendeu a outros dois operadores, a Betclic e a Bet.pt, sites de apostas online com actividade legalizada em Portugal, sem que houvesse, então, indícios de haver manipulação de resultados.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) já requereu a sua “intervenção como assistente” no processo judicial em curso, frisando que “jamais irá imiscuir-se naquilo que diz respeito aos órgãos da polícia criminal e aos órgãos de disciplina desportiva”. O organismo liderado por Pedro Proença reforça ainda a “sua total confiança nas Instituições e nas Sociedades Desportivas, nomeadamente no Rio Ave FC”, dizendo-se “sempre consciente de que a integridade é um dos valores fundamentais para as competições profissionais”.

Também em comunicado, o Rio Ave reagiu com “espanto e indignação”. Os vilacondenses dizem “não ter informações sobre o assunto” por estar em “segredo de justiça”, mas reconhecem que foi “aberto um processo que corre os seus termos na Polícia Judiciária, no qual todos os elementos notificados pertencentes aos quadros do Rio Ave prestaram toda a colaboração solicitada, há seis meses”. “Estranha-se que seja tratado na comunicação social quando não temos qualquer informação sobre o mesmo, nem tão pouco os visados na notícia”, acrescentou o clube, que manifestou “a total confiança nos intervenientes” e “o desejo de ver esta situação resolvida, indo até às últimas consequências para que a verdade seja totalmente apurada”.