Annie Spratt/Unsplash
Foto
Annie Spratt/Unsplash

Um “crowdfunding” para provar que há mulheres na publicidade

Duas criativas querem criar um site, a nível mundial, que acabe com o mito de que não há "mulheres a trabalhar ou à procura de trabalho em publicidade". A campanha no Kickstarter termina a 3 de Janeiro

Não lhes mintam: elas sabem que “há muitas mulheres na área da publicidade”. Então por que razão é que nunca são escolhidas? Em 2016, Lina Franzon e Johanna Johansson, uma copywriter e uma directora de arte, criaram um site, o Kreatörskvinnor.se, que permitia que qualquer pessoa consultasse perfis de mulheres a trabalhar ou à procura de trabalho na área da publicidade. A lista de quase mil nomes, todos femininos, tem um objectivo: fazer desaparecer o mito perpetuado pelas agências e empresas de que "haveria falta de mulheres na área". Direccionaram o site para a realidade sueca, mas perceberam que “o problema da desigualdade de género na publicidade era global”.

Por isso, as duas criativas decidiram criar um novo site, a nível mundial, que vai permitir que uma mulher se registe em qualquer lado. Também ampliaram as competências: agora mulheres na economia e na programação também vão poder criar um perfil para que as empresas as encontrem. “E as mulheres na indústria vão ter sempre um contra-argumento para quem se opuser à igualdade no recrutamento”, escrevem, na página da campanha de crowdfunding que, a 12 dias do final, já superou o objectivo estipulado (cerca de 17 mil euros para desenvolver o site).

A campanha Add Ad Women está à procura de apoiantes no Kickstarter até 3 de Janeiro e já conta com 20 mil euros, doados por 113 apoiantes. Ainda não é conhecida a data oficial do lançamento do projecto.

PÚBLICO -
Foto
Lina Franzon e Johanna Johansson