Peru ou cabrito? Depende da bolsa e do gosto das famílias

Foto

Das ilhas ao Algarve, de Trás-os-Montes à Estremadura, a ementa de Natal, seja na ceia ou no próprio dia, conta sempre com os famosos peru e cabrito.

Vamos às compras? Não se esqueça, vá com tempo, para poder escolher e comparar, e ao chegar a casa conserve bem o que comprou.

 Comecemos pelo peru:

Nas compras avulsas: a carne deve ter odor neutro e não apresentar matérias estranhas, sujidade ou sangue. Não escolha a peça que apresente golpes, queimaduras ou penas. A pele deve ter uma coloração homogénea e estar bem aderente à carne.

Ao comprar embalado: prefira o exemplar que tiver data de abate, embalagem ou início de comercialização mais recente.

Em casa: guarde a carne no frigorífico, mas apenas por 24 horas, pois se quiser conservar por mais tempo, terá de colocar no congelador. Quando pretender cozinhar, descongele-o no frigorífico.

Quanto ao cabrito:

Nas compras avulsas: a carne deve ter odor neutro e não apresentar matérias estranhas, sujidade ou sangue. 

Ao comprar embalado: escolha a embalagem que tiver data de abate, embalagem ou início de comercialização mais recente. Se notar perdas de líquido, não compre.

Em casa: caso não seja possível comprá-lo no próprio dia, pode guardá-lo no frigorífico um ou dois dias antes de o preparar. Se vai cozinhar mais tarde, tem de congelar, podendo ficar congelado sem perder qualidade até três meses. Tal como no caso do peru, antes de cozinhar, deixe o cabrito descongelar no frigorífico.

Não se esqueça, cozinhe bem a carne. Se sobrar, guarde no frigorífico até três dias. 

Conteúdo da responsabilidade da Deco