Amador Loureiro/Unsplash
Foto
Amador Loureiro/Unsplash

De “incêndios” a “afecto”: qual é a Palavra do Ano?

Votação online prossegue até ao final do mês e já contou com dez mil participações

Os vocábulos "incêndios", "afecto" e "floresta" lideram a lista de preferências para a Palavra do Ano de 2017. 

A votação, que arrancou a 1 de Dezembro no site oficial, prossegue até ao final do mês. A palavra vencedora será conhecida a 4 de Janeiro, às 10h30, numa cerimónia na Biblioteca Municipal Ary dos Santos, em Sacavém, no concelho de Loures.

"Duas semanas após o início da votação, já votaram cerca de 10.000 internautas", disse à Lusa fonte da Porto Editora (PE), que organiza a iniciativa desde 2009. O vocábulo "incêndios", que lidera as intenções, foi escolhido por causa dos "sucessivos incêndios que se fizeram sentir durante este ano em todo o país; 2017 foi um dos anos mais trágicos de sempre, pela enorme quantidade de vítimas e pela dimensão da área atingida".

A "incêndios" sucedem-se "afecto", "floresta", "vencedor", seguindo-se "crescimento", "desertificação", "gentrificação", "cativação", "peregrino" e, em último, "independentista". A eleição da Palavra do Ano vai na nona edição e "já faz parte do calendário dos portugueses, tal a curiosidade que desperta e a participação crescente nas votações", disse à Lusa a mesma fonte.

As palavras eleitas nas edições anteriores foram "esmiuçar" (2009), "vuvuzela" (2010), "austeridade" (2011), "entroikado" (2012), "bombeiro" (2013), "corrupção" (2014), "refugiado" (2015) e "geringonça" (2016). No ano passado, participaram cerca de 28.000 cibernautas, ultrapassando os cerca de 20.000 votantes de 2015.