Os frutos secos compõem a mesa de Natal português

Foto
Mara Carvalho

Tradicionalmente, de norte a sul do país, nozes, amêndoas, avelãs, passas de uva ou pinhões estão presentes na mesa de Natal.

Os frutos secos são benéficos para o coração. Ricos em gorduras insaturadas, ajudam a reduzir os níveis de mau colesterol no sangue, possuem proteínas, nomeadamente arginina, presentes nas avelãs e nozes, essenciais para o funcionamento do sistema cardiovascular. São também uma importante fonte de vitaminas  do grupo B e minerais, como magnésio, fósforo e ácido fólico, que podem ajudar na prevenção de algumas doenças. Presente sobretudo em nozes, avelãs e amendoins, o ácido fólico é aconselhado antes e depois da gravidez, pois evita malformações no bebé.

Assim, além de cumprirem a tradição, os frutos secos são uma escolha saudável para a mesa de Natal. Claro que há também a questão de serem bastante calóricos, logo nada de abusos, e do preço, já que são, em regra, muito dispendiosos. Os pinhões são aqueles que mais encarecem o cabaz de frutos secos. Devido ao seu elevado preço, são comercializados em embalagens pequenas: o preço médio de uma embalagem de 50 gramas, este ano, ronda os oito euros. 

Indicações de escolha e compra:

Verifique se os frutos têm a casca intacta e não apresentam cortes, buracos ou manchas. Se os preferir sem casca e embalados, certifique-se de que estão soltos. Leia o rótulo: ficará a conhecer a origem do fruto e a sua data de validade.

Conservação:

Conserve-os em local fresco e ventilado. Os frutos mais gordos, como a noz ou amêndoa, rançam com facilidade, pelo que convém guardá-los no frigorífico, dentro de um frasco hermético.

Informe-se.

Conteúdo da responsabilidade da Deco