Democrata Doug Jones vence no Alabama, mas Roy Moore não reconhece a derrota

Jones torna-se o primeiro democrata a ser eleito no estado do Alabama em 25 anos. Trump felicitou o vencedor.

Foto
Doug Jones é conhecido pelo combate contra os Ku Klux Kan Reuters/MARVIN GENTRY

O democrata Doug Jones venceu as eleições para o Senado no Alabama contra o republicano Roy Moore. É o primeiro democrata a ser eleito por este estado em 25 anos e a sua vitória fragiliza a maioria republicana no Senado.

O advogado de 63 anos derrotou nesta terça-feira o republicano acusado por sete mulheres de assédio sexual, duas delas menores à data dos abusos. Roy Moore era apoiado pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, que entretanto felicitou Jones pelo resultado.

"O povo de Alabama demonstrou a sua vontade", disse Doug Jones, que agradeceu às minorias que o apoiaram e garantiram a sua vitória, desde a comunidade latina à judaica. Jones sublinhou que a sua candidatura foi construída com "dignidade e respeito". "Andou tudo à volta do primado da lei", vincou.

"Sempre acreditei que as pessoas de Alabama tinham mais em comum do que aquilo que as separa. Esta campanha assentou no bom-senso e na decência, garantindo que todas as pessoas que vivem neste estado, independentemente do seu código postal, vão ter um tratamento justo e as mesmas oportunidades. Esta noite, senhores e senhoras, vocês escolheram o caminho certo", concluiu no seu discurso de vitória.

De acordo com os dados divulgados pela AFP, com base na sondagem à boca das urnas, Jones teve  49,9% dos votos e o seu rival 48,4% do seu rival, Roy Moore. O candidato democrata conquistou 96% dos votos de eleitores afro-americanos. Já os eleitores brancos votaram maioritariamente no candidato republicano.

Moore, de 77 anos, não reconheceu a vitória do seu rival e deu a entender que iria pedir uma recontagem de votos. 

Na sua mensagem dirigida a Jones através de uma publicação no Twitter, o Presidente norte-americano lembra que haverá mais oportunidades para os republicanos recuperarem o lugar no Senado que perderam esta terça-feira.

"Parabéns a Doug Jones por uma vitória suada. Os votos write-in [aqueles em que os eleitores escrevem o nome de quem querem eleger, mesmo que não seja um candidato oficial] foram um factor muito importante, mas uma vitória é uma vitória", resumiu.

Para além de Trump, também Hillary Clinton felicitou o democrata. "Os eleitores de Alabama elegeram um senador que os vai orgulhar. Se os democratas conseguem vencer no Alabama, conseguiremos — e temos de o fazer — de vencer em todo o lado", disse a democrata que foi candidata à presidência dos EUA contra Trump.

A derrota de Moore está a ser encarada como um falhanço de Steve Bannon, uma vez que foi o ex-estratega da Casa Branca que pôs Moore na corrida, quando se esperava que fosse o advogado Luther Strange o candidato do Partido Republicano e que tinha o apoio de Mitch McConnel (líder da maioria republicana no Senado).