Realizador Bryan Singer, de Os Suspeitos do Costume, acusado de violação de rapaz de 17 anos

Alegada vítima terá sido forçada a actos sexuais em 2003. Singer nega acusação após problemas que levaram ao seu despedimento do filme sobre os Queen.

Foto
Bryan Singer HANNAH MCKAY / REUTERS

Após uma semana turbulenta que levou ao seu despedimento do filme sobre os Queen que estava a realizar, o realizador e produtor Bryan Singer foi esta quinta-feira formalmente acusado de agressão sexual a um rapaz de 17 anos. O realizador de Os Suspeitos do Costume ou de quatro filmes X-Men nega as acusações.

A acusação é feita por Cesar Sanchez-Guzman, que alega que Singer o abordou numa festa a bordo do seu iate em 2003, em Seattle (estado de Washington, o mesmo onde deu agora entrada o processo judicial), e enquanto lhe mostrava o barco o fechou consigo num quarto, exigindo sexo ao jovem de 17 anos. “Quanto o queixoso recusou, Bryan Singer forçou-o” a actos sexuais, lê-se no processo.

“Mais tarde, Bryan Singer abordou Cesar e disse-lhe que era produtor em Hollywood e que podia ajudá-lo a ser actor desde que Cesar nada dissesse sobre o incidente. Disse então a Cesar que ninguém acreditaria nele se ele alguma vez fizesse queixa do incidente e que podia contratar pessoas capazes de arruinarem a reputação de alguém”, prossegue o processo, que detalha que o jovem sofre até hoje as consequências do alegado acto ao nível “psicológico, mental e emocional”.

Os representantes de Singer emitiram um comunicado em que este “nega categoricamente estas alegações” e garantem que o produtor vai “defender[-se] neste processo legal de forma veemente até ao fim”, acrescentando que quando for provada a sua inocência Singer planeia processar o queixoso. E frisa o facto de o advogado que representa Cesar Sanchez-Guzman ser o mesmo que, em 2014, defendeu Michael Egan – que acusou Singer de o drogar e violar em 1999, tendo mais tarde retirado o processo com o causídico, Jeffrey Herman, a admitir publicamente que as histórias de Egan seriam “contrárias à verdade e provavelmente falsas”.

A notícia da acusação sobre Singer surge poucos dias depois do final da sua relação com o problemático filme Bohemian Rhapsody, sobre a banda britânica Queen, que há anos é assolado por problemas de produção. Várias fontes e vários órgãos de informação relataram que Bryan Singer não regressou às filmagens após o Dia de Acção de Graças (última quinta-feira de Novembro), no que consideraram ser uma “ausência inexplicada”.

Mas, de acordo com a Variety, essas ausências eram “repetidas” e causaram mesmo, nas últimas semanas, a paragem total da produção. Inicialmente, os representantes de Singer indicaram que se tratava de “um problema de saúde pessoal” e mais tarde, já com o processo findado e o despedimento concretizado, Singer viria a dizer que a sua ausência se deveu a ser cuidador de um dos seus pais doentes. O novo realizador do filme será Dexter Fletcher.