À espera de um milagre e atrás de um sonho

V. Guimarães depende de terceiros para continuar na Liga Europa. Sp. Braga tenta garantir primeiro lugar no Grupo C.

O V. Guimarães não depende apenas de si para seguir na Liga Europa
Foto
O V. Guimarães não depende apenas de si para seguir na Liga Europa LEONHARD FOEGER/REUTERS

O futebol português já tem dois representantes garantidos nos 16 avos-de-final da Liga Europa, resta esperar por um milagre para que esse número aumente para três. Sporting (despromovido da Liga dos Campeões) e Sp. Braga (que assegurou uma vaga no Grupo C da Liga Europa) podem vir a ter a companhia do V. Guimarães, mas a tarefa da equipa orientada por Pedro Martins não será fácil. Os vimaranenses chegam à derradeira jornada da fase de grupos no último lugar do Grupo I e não dependem exclusivamente de si próprios.

O V. Guimarães recebe o Konyaspor (20h05, SP-TV1) e está obrigado a ganhar, mas também tem de esperar por um triunfo do líder Salzburgo sobre o Marselha, na outra partida do Grupo I. Esta conjugação de resultados permitiria aos vimaranenses igualar os sete pontos do emblema francês – e garantir o apuramento graças ao confronto directo (apesar da derrota em Marselha por 2-1, o V. Guimarães triunfou sobre os franceses em Guimarães por 1-0, e o golo marcado no Velódromo apuraria a equipa de Pedro Martins).

“Vamos agarrar-nos a tudo e mais alguma coisa para conseguir. A percentagem é mínima mas existe e enquanto assim for vamos agarrar-nos a ela. O nosso foco e concentração máxima estão neste jogo. Do outro lado temos uma equipa com qualidade, que demonstrou no último jogo, com o Marselha (1-1), que, se calhar, não dependia de jogos de terceiros, não fosse sofrer o golo aos 90+3 minutos”, notou o treinador do V. Guimarães, em conferência de imprensa.

A prestação do V. Guimarães na Liga Europa tem sido de extremos. Fora de casa foram três derrotas, mas no D. Afonso Henriques a equipa de Pedro Martins soma um triunfo e um empate. “Poderíamos ter sido mais experientes. Houve algum receio na Turquia, na primeira parte, porque era o primeiro jogo fora. Se esta caminhada começasse agora, provavelmente as mentes dos atletas mais jovens teriam sido diferentes, mas é o que é. Muitos dos jogadores estão a ter a primeira experiência na Liga Europa. Globalmente, os pormenores definem esta competição. Nesta fase poderíamos depender só de nós, mas isso não foi possível”, assinalou o técnico vimaranense.

Final minhota

Se o V. Guimarães espera por um milagre para continuar na Liga Europa, o Sp. Braga persegue um sonho que depende precisamente do rival minhoto. “Tomara eu que as equipas portuguesas sigam sempre o mais longe possível nas competições europeias. Em 2011 defrontaram-se duas equipas portuguesas na final da Liga Europa”, afirmou o presidente do Sp. Braga, António Salvador, referindo-se ao troféu disputado em Dublin por bracarenses e FC Porto. “Quem sabe se este ano podemos ter na final duas equipas do Minho”, acrescentou o dirigente.

A final minhota será um sonho difícil de concretizar, mas o primeiro lugar no Grupo C está ao alcance do Sp. Braga. Já qualificada para os 16 avos-de-final, a equipa de Abel Ferreira garante o estatuto de cabeça-de-série no sorteio de segunda-feira se vencer no terreno do Basaksehir (18h, SIC), ou desde que o Ludogorets não vença o Hoffenheim na outra partida do agrupamento. “Vamos para a Turquia com algumas baixas, mas não vamos lá passear. Vamos lutar por prestígio e para tentar ser cabeças-de-série no sorteio”, sublinhou António Salvador.

“Temos noção do feito que o Sp. Braga alcançou nesta fase de grupos, um autêntico grupo de Champions. Amanhã [hoje] vamos defrontar o líder do campeonato turco, o Hoffenheim é uma equipa de topo na Alemanha e o Ludogorets é o crónico campeão búlgaro. Há que agradecer aos jogadores, ao staff e aos adeptos”, enalteceu o presidente do Sp. Braga.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações