Poluição

O Tejo é um rio de lamentações

Os pescadores dizem que o peixe praticamente desapareceu do rio. Os pastores relatam que as suas ovelhas já não bebem a água do Tejo. Os habitantes das vilas e aldeias banhadas pelo rio recordam um tempo, agora distante, em que as pessoas tinham no rio uma parte importante das suas vidas. Desde a barragem de Cedillo, na fronteira com Espanha, até à aldeia piscatória de Escaroupim, quase às portas do estuário, o Tejo transforma-se num leito de suspiros e queixumes, com a mira apontada para a poluição e para os caudais reduzidos. Algumas pessoas ainda se lembram de uma época em que era possível beber água directamente do rio.