Meio milhão de euros. Castelo abandonado comprado por 6500 pessoas

O castelo de La Mothe-Chandeniers foi comprado no dia 1 de Dezembro. Os cidadãos são agora accionistas.

Fotogaleria
Os “investidores” receberão as chaves do castelo em Janeiro de 2018 Dartagnans
Fotogaleria
Os internautas conseguiram reunir 500.000 euros para a aquisição do castelo Dartagnans

O castelo de La Mothe-Chandeniers, em França, foi comprado por 6500 internautas através da plataforma de financiamento participativo Dartagnans.fr. O repto consistia em reunir 500.000 euros em 80 dias, feito conseguido no dia 1 de Dezembro, noticia o jornal francês Le Figaro. “Está feito! O La Mothe-Chandeniers foi comprado a 1 de Dezembro”, anunciou nesta segunda-feira Romain Delaume, co-fundador da Dartagnans.fr, um site especializado em resgate e conservação do património.

As ruínas do castelo, cobertas de vegetação e rodeadas por água, foram compradas através de uma sociedade por acções simplificada (SAS). A plataforma permitiu a cada doador investir pelo menos 51 euros e tornar-se accionista e, por isso, co-proprietário deste monumento do século XIII localizado em Trois-Moutiers, Vienne, França.

Por 60 euros, a plataforma de crowdfunding e a associação Adopte um Castelo oferecem uma caixa que contém o acesso ao castelo e um cartão de sócio único. A caixa pode ser comprada no site Dartagnans.fr e chama-se A minha parte do castelo. Os “investidores” receberão as chaves do castelo em Janeiro de 2018 e poderão, a partir da mesma data, participar no processo de reabilitação do La Mothe-Chandeniers numa plataforma colaborativa.

No dia 1 de Dezembro, 24 dias antes do limite do pedido na plataforma, 6500 cibernautas chegaram ao montante de 500.000 euros – na tarde desta quarta-feira, o valor recolhido já somava 734 mil euros. “Contámos com a participação de 45 nacionalidades, desde brasileiros, americanos, italianos, franceses, japoneses, australianos, alemães, entre outros”, referiu Romain Delaume. “Mas este é apenas o primeiro passo, o objectivo é alcançar um milhão de euros”, explicou, acrescentando que o dinheiro será usado para despesas financeiras relacionadas com a compra, peritos de arquitectura e trabalhos de limpeza e segurança do local, previstos para a Primavera de 2018, indica o mesmo jornal.

O objectivo seguinte é o de mobilizar pelo menos 10.000 contribuidores para salvar o castelo e não precisar de apoios do Estado. “A sociedade funcionará de forma democrática, com um conselho de administração e com uma assembleia geral anual. Queremos tornar o castelo colectivo e permitir que os apaixonados por este projecto se tornem nos seus guardiões”, explica a associação Adopte um Castelo.

Os accionistas poderão também ter exclusividade nas primeiras visitas ao castelo, previstas igualmente para o próximo ano. O edifício actual data do início do século XIX mas a sua história é bastante mais antiga, com o castelo a ser mencionado desde o século XIII sob o nome de La Mothe de Bauçay.

Este tipo de iniciativas não é novo, com os cidadãos a ajudarem a comprar pinturas e restaurar património. Em Portugal, por exemplo, o quadro Adoração dos Magos de Domingos Sequeira foi comprado através de uma campanha de angariação de fundos, que contou com o envolvimento de empresas e cidadãos no ano passado. A campanha Vamos Pôr o Sequeira no Lugar Certo reuniu os 600.000 euros necessários para o Museu Nacional de Arte Antiga adquirir a pintura.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações