Twin Peaks e Foge são os filmes do ano para os Cahiers du Cinéma e para a Sight & Sound

O regresso da série de culto de David Lynch dos anos 1990 e a estreia do cómico Jordan Peele na realização são os escolhidos da revista francesa e da revista britânica, respectivamente.

Fotogaleria
O filme do ano para a revista Cahiers du Cinéma
Fotogaleria
Para a Sight and Sound, o filme de 2017 foi Foge

Em 2014, a influente revista Cahiers du Cinéma já tinha escolhido O Pequeno Quinquin, uma minissérie de Bruno Dumont para o canal Arte, como filme do ano – obra de três horas e meia, teve inclusivamente estreia em salas de cinema entre nós. Este ano, a revista repetiu a preferência por um objecto concebido para televisão. Neste caso, o regresso de Twin Peaks – a série criada por David Lynch e Mark Frost nos anos 1990 –, uma temporada inteira de 18 episódios de uma hora cada, foi o filme de 2017. Os dois primeiros episódios tinham sido um dos acontecimentos do maior festival de cinema do mundo, Cannes, em Maio, e foram também exibidos no LEFFEST, Lisbon & Sintra Film Festival, em Novembro. A série teve estreia em televisão através do TVSéries.

A série figura também em segundo lugar no resultado do inquérito feito a 188 críticos e curadores pela britânica Sight & Sound, a revista do British Film Institute, que elegeu Foge, a estreia como realizador de Jordan Peele, o cómico conhecido como metade do duo Key & Peele, para filme do ano. Em terceiro lugar na lista de 26 títulos, ficou Chama-me Pelo Teu Nome, de Luca Guadagnino, com estreia marcada entre nós para 18 de Janeiro.

Zama, de Lucrecia Martel, co-produção portuguesa ainda sem data de estreia por cá, Western, de Valeska Grisebach, que passou em competição no LEFFEST, Visages, villages, de Agnès Varda, que chega em Março, Good Time, dos irmãos Safdie, Loveless, de Andrey Zvyagintsev, Dunkirk, de Christopher Nolan, que empatou o nono lugar com The Florida Project, de Sean Baker, e A Ghost Story, de David Lowery, todos sem data de estreia, compõem o resto do top dez. 

No caso da Cahiers, Jeannette, o musical de Bruno Dumont sobre Joana D’Arc, também feito para televisão, e Certain Women, de Kelly Reichardt, compõem o segundo e terceiro lugar, respectivamente. São seguidos de Foge, O Dia Seguinte, de Hong Sang-soo, O Amante de um Dia, de Philippe Garrel, que se estreia a 4 de Janeiro, Good Time, Fragmentado, de M. Night Shyamalan, Jackie, de Pablo Larraín, e Billy Lynn: A Longa Caminhada, de Ang Lee, que só passou em Portugal na televisão.

A lista da Sight & Sound inclui também Lady Macbeth, de William Oldroy, 120 Batimentos Por Minuto, de Robin CampilloYou Were Never Really Here, de Lynne Ramsay, God’s Own Country, de Francis Lee, Personal Shopper, de Olivier Assayas, The Shape of Water, de Guillermo Del ToroStrong Island, de Yance Ford, I am Not Your Negro - Eu Não Sou o Teu Negro, de Raoul Peck, Lady Bird, de Greta Gerwig, Un beau soleil intérieur, de Claire Denis, Moonlight, de Barry JenkinsMãe!, de Darren AronofskyMudbound, de Dee Rees, O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismäki, e Silêncio, de Martin Scorsese.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações