Centeno é candidato à presidência do Eurogrupo

Já é oficial: Mário Centeno é o candidato à presidência do Eurogrupo apoiado pelo Partido Socialista Europeu e pelo Partido Popular Europeu. Há mais três candidatos: os ministros das Finanças da Letónia, da Eslováquia e do Luxemburgo.

LUSA/MANUEL ARAÚJO
Foto
LUSA/MANUEL ARAÚJO

Mário Centeno é oficialmente candidato à presidência do Eurogrupo. A candidatura de Centeno foi já assumida em nota oficial do Governo divulgada à comunicação social.

A candidatura foi apresentada esta quinta-feira com o apoio dos governos dos Estados-membros que integram o Conselho de Ministros das Finanças da zona euro que estão organizados no Partido Socialista Europeu (PES). A candidatura de Centeno é igualmente apoiada pelos executivos do Eurogrupo que estão inscritos no Partido Popular Europeu (PPE).

Entre o PES e o PPE há duas únicas excepções no apoio consensual a Centeno. São a Eslováquia e a Letónia. Assim deverão ser também candidatos a ministra das Finanças letã, Dana Reizniece-Ozola, que já terá formalizado a candidatura e cujo Governo se inscreve no PPE, e o ministro das Finanças eslovaco, Peter Kazimír, que não desistiu de ser candidato e cujo partido no governo pertence PES. Há um quarto candidato, o ministro das Finanças do Luxemburgo, Pierre Gramegna, cujo Governo pertence ao grupo Liberal. Mas os liberais têm apenas dois votos no Eurogrupo.

Como o PÚBLICO noticiou, durante a noite de quarta-feira e na madrugada desta quinta-feira, prosseguiram os contacto do primeiro-ministro português, António Costa, para tentar que Centeno fosse o candidato único apoiado pelo PES e pelo PPE. O apoio da chanceler alemã, Angela Merkel, foi decisivo para o resultado final das negociações.

A eleição para a substituição do holandês Jeroen Dijsselbloem realizam-se segunda-feira, dia 4 de Dezembro.

 

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações