Financial Times aponta Centeno como favorito

O ministro das Finanças português, que poderá ser o único candidato, é apontado como o sucessor de Dijsselbloem.

Foto
LUSA/STEPHANIE LECOCQ

O ministro das Finanças português está a consolidar o seu lugar de favorito para a presidência do Eurogrupo. O jornal Financial Times escreve esta quinta-feira que Mário Centeno é o líder na corrida à sucessão do holandês Jeroen Dijsselbloem.

O jornal escreve que o “economista de Harvard” presidiu à "impressionante recuperação económica" que tirou o rating do país do nível de lixo e "encolheu o défice para o valor mais baixo em quarenta anos", tendo já sido comparado por Schäuble a Cristiano Ronaldo

De acordo com os termos definidos pelas autoridades europeias, as candidaturas têm de ser apresentadas até às 11h desta quinta-feira e a lista de candidatos será publicada na sexta-feira. A votação está prevista para segunda-feira.

O Financial Times lembra ainda que uma candidatura socialista cumpre o requisito de preferência dado à esquerda para esta liderança, devido a um equilíbrio que se entenden que deve haver entre forças de esquerda e direita nas posições de destaque dos diferentes grupos europeus.

De acordo com fontes do PÚBLICO, Mário Centeno poderá ainda ser o único candidato à presidência do Eurogrupo. Esta quarta-feira à noite, faltavam apenas dois apoios entre os 19 Estados-membros que compõem o grupo informal de ministros das Finanças da zona euro. A candidatura de Centeno terá sido favorecida em relação à do italiano Pier Carlo Padoan, outro possível candidato de centro-esquerda, que enfrenta eleições na Primavera.

O Financial Times alerta que entre Centeno e o Eurogrupo estão também o centrista do Luxemburgo Pierre Gramegna e Dana Reizniece-Ozola, da Letónia, como possíveis candidatos. O maior entrave poderá ser da Eslováquia, com o ministro das Finanças Peter Kazimír.