Tribunal decide levar a julgamento autarca por alegada difamação

Em causa estão textos publicados pelo autarca nas redes sociais que alegadamente tinham como alvo o ex-adjunto de Eduardo Vítor Rodrigues.

O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues
Foto
O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues Fernando Veludo/NFACTOS

Um juiz de Instrução Criminal da Comarca do Porto decidiu levar a julgamento Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, por alegada difamação ao seu ex-adjunto Bruno Santos.

A decisão, a que a agência Lusa teve acesso neste domingo, confirma a acusação deduzida pelo Ministério Público em Maio deste ano, tendo o processo começado numa queixa-crime apresentada por Bruno Santos, ex-adjunto de Eduardo Vítor Rodrigues.

Em causa estão textos publicados pelo autarca nas redes sociais que alegadamente tinham como alvo o ex-colaborador, demitido um mês antes.

No despacho de pronúncia, datado de sexta-feira, lê-se que "uma vez que esta fase da instrução é ainda meramente indiciária, de comprovação judicial de indícios, e por efectivamente esses indícios se afigurarem suficientes, pronuncia-se o arguido Eduardo Vítor de Almeida Rodrigues pelos factos e imputação jurídicas constantes da acusação particular deduzida contra si pelo assistente".

Já em declarações à agência Lusa, Bruno Santos apontou que esta decisão "vai de encontro àquilo que esperava". "A situação em si não me agrada. Mas uma vez que foi criada, esta decisão vai de encontro àquilo que acho que é o sentido de justiça", disse o ex-adjunto da autarquia de Gaia, distrito do Porto.

A agência Lusa procurou obter uma reacção junto de Eduardo Vítor Rodrigues, tendo o presidente da Câmara de Gaia dito que não tem "qualquer comentário a fazer" e que aguarda "com tranquilidade o esclarecimento em tribunal".