Golo de Guedes apura o Rio Ave em jogo cheio de polémicas

Vila-condenses afastaram o Sp. Braga da Taça de Portugal numa partida em que os bracarenses contestaram a arbitragem.

Foto
O lance em que Esgaio foi derrubado por Cássio Hugo Delgado/Lusa

Finalista e vencedor da prova há duas épocas, o Sp. Braga caiu no segundo round da Taça de Portugal 2017-18. Na reedição de uma das meias-finais da última edição, o Rio Ave garantiu a qualificação na quarta eliminatória da prova com um golo de Guedes, marcado ainda na primeira parte, mas a partida ficou marcada por uma arbitragem polémica do árbitro Tiago Martins, muito contestado pelos bracarenses.

Após afastarem na eliminatória anterior equipas das divisões secundárias - os vila-condenses derrotaram a Sanjoanense, os bracarenses triunfaram perante o S. Martinho -, Rio Ave e Sp. Braga mediram forças pela oitava vez desde 2016 e à semelhança do que tem acontecido nos duelos anteriores, a partida foi equilibrada e intensa.

Sem qualquer vitória nas últimas seis deslocações a Vila do Conde, o Sp. Braga iniciou a partida com Paulinho no banco de suplentes, surgindo Dyego Sousa como homem mais adiantado da equipa treinada por Abel Ferreira. Do lado dos vila-condenses, João Novais ocupou o lugar habitualmente ocupado por Francisco Geraldes e o médio natural de Vila Nova de Gaia foi um dos protagonistas da partida.

No entanto, o jogo começou com polémica: aos 10’, Jefferson isolou Esgaio e quando o ex-sportinguista tentou passar por Cássio, foi derrubado quando se isolaria, embora seguindo na direcção da bandeirola de canto. Perante os protestos minhotos, que pretendiam a expulsão do guarda-redes, o árbitro exibiu o cartão amarelo ao guarda-redes brasileiro.

Seguiram-se dois remates de Novais, defendidos por Matheus, e com o domínio da partida repartido, o Rio Ave chegou à vantagem. Aos 36’, Tarantini combinou com Lionn do lado direito e cruzou rasteiro para Guedes, que na área desviou para o fundo da baliza.

Quase na resposta, um golo de Dyego Sousa foi bem anulado por Tiago Martins, mas pouco depois os protestos bracarenses voltaram: Ricardo Horta rematou, após cruzamento de Esgaio, e Cássio defendeu. Segundo os “arsenalistas”, a bola terá ultrapassado por completo a linha de jogo.

O recomeço da partida mostrou um Sp. Braga melhor, mas na primeira parte dos últimos 45 minutos pertenceram ao Rio Ave as oportunidades mais perigosas. Com o avançar do ponteiro do relógio, Abel Ferreira arriscou (trocou Marcelo Goiano por Paulinho) e os minhotos conseguiram colocar os vila-condenses sob pressão, mas seria novamente Tiago Martins a assumir o protagonismo ao expulsar Guedes (acumulação de amarelos, sendo o segundo por demora na saída do relvado) e ao não assinalar por duas vezes falta na área do Rio Ave, por alegadas cargas de Cássio.