Greve de professores mantém-se, mas negociações vão prosseguir

O Governo ter-se-á mostrado “disponível” para encarar a progressão de todos os professores, “embora de forma faseada no tempo”, indicou Mário Nogueira.

Fotogaleria
JOSÉ COELHO/LUSA
Fotogaleria
Miguel Manso

Ao fim de uma reunião de três horas com as secretárias de Estado Adjunta e da Educação e do Emprego Público, Mário Nogueira anunciou que a greve de professores convocada para esta quarta-feira vai manter-se. O secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof) diz aliás que “vai depender muito da adesão dos docentes aquilo que o Governo vier a decidir” no que diz respeito à contagem do tempo de serviço para progressão na carreira.

Também o líder da Federação Nacional da Educação, João Dias da Silva, considerou que a adesão à greve desta quarta-feira é "decisiva", frisando que não existem ainda garantias por parte do Governo de que o todo tempo de serviço prestado pelos docentes venha a ser considerado.

Segundo Dias da Silva, o Governo ter-se-á mostrado disponível para contabilizar os últimos sete anos de congelamento, mas não quer fazer o mesmo com os dois anos anteriores (2005-2007) em que as carreiras estiveram congeladas. Tanto a Fenprof, como a FNE já reafirmaram que só aceitam uma proposta que contabilize todo o tempo de serviço prestado pelos docentes.

"O tempo de serviço não se negoceia, conta-se", frisou Nogueira, adiantando que nesta reunião com a secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, e a do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca, “não ficou fechada a porta para todo o tempo de serviço dos professores vir a ser contado para efeitos de progressão”.

O Governo, disse, ter-se-á mostrado “disponível” para encarar a progressão de todos os professores, “embora de forma faseada no tempo”, indicou o dirigente sindical.

A Fenprof já se mostrou disponível para negociar esta modalidade e indicou que ainda poderá ser contactada pelo Governo esta noite, o que não alterará, contudo, a convocação da greve para amanhã. A FNE também já mostrou disponibilidade para esta negociação, mas indicou que as negociações vão prosseguir na quinta-feira.