Morreu Cabrita Neto, antigo governador civil do Algarve

Defensor incondicional da regionalização, defendia que preferia "ser sargento na minha terra a capitão em Lisboa”.

Foto

O antigo governador civil de Faro Joaquim Cabrita Neto morreu nesta segunda-feira aos 77 anos de idade. O nome deste algarvio está intimamente ligado ao “cavaquismo” e à afirmação da política regional. Durante uma década (1985-1995), período em que foi governador civil de Faro, cabia ao “senhor governador” assumir o poder em todas as latitudes. O protagonismo que imprimia à acções constantes que empreendia em defesa da região transmitia a ideia pública de que era ele o rosto da regionalização que afinal não existiu e ficou arrumada na gaveta com o referendo de 1997, no governo de António Guterres.

Além de representar o poder central na região, Cabrita Neto liderava também o PSD/Algarve e ainda presidia à Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares (AIHSA). Embora tenha sido deputado, logo que pode retomou um lugar de governador civil. “Prefiro ser sargento na minha terra a capitão em Lisboa”, uma frase que gostava de afirmar para sublinhar o seu regionalismo militante. Por vezes, chegou a ser visto como o “Alberto João Jardim do Algarve”, embora a sua personalidade não se confundisse com a do ex-líder madeirense. O facto de ter sido um dos amigos de infância de Cavaco Silva ajudou a construir a sua aura de poder e influência que extravasava a região.

Os pais de Cabrita Neto e de Cavaco Silva partilharam, no passado, interesses comuns no comércio dos frutos – figo, amêndoa e alfarroba. Na política, mais tarde, os filhos estiveram lado a lado nas lutas pela afirmação do “cavaquismo” dentro do PSD.

Porém, o percurso de vida de Joaquim Manuel Cabrita Neto não se esgota na política. No sector turístico, também se destacou no associativismo empresarial enquanto presidente da AIHSA, bem como presidente da Comissão Regional de Turismo do Algarve.

Nasceu na Guia, concelho de Albufeira a 22 de Setembro de 1940, era filho do empresário Teófilo Fontainhas Neto e irmão de Vítor Neto, presidente do Nera - Associação Empresarial da Região do Algarve e antigo secretário de Estado do Turismo. O funeral realiza-se nesta qaurta-feira, pelas 15h00, em São Bartolomeu de Messines.