Simulador Poupa Energia permite comparar 200 tarifários de electricidade e gás

A nova plataforma electrónica de simulação e comparação de tarifários de electricidade e gás natural vai permitir aos consumidores saberem quanto podem poupar anualmente nas suas facturas com a mudança de comercializador.

O Poupa Energia é gerido pela Adene - Agência para a Energia
Foto
O Poupa Energia é gerido pela Adene - Agência para a Energia Rita Franca

A plataforma de comparação e simulação de tarifários de electricidade e gás natural – o Poupa Energia – entrou finalmente em funcionamento nesta terça-feira, quase um ano depois de ter sido aprovada no âmbito da votação do Orçamento do Estado para 2016.

A plataforma, desenvolvida pela Adene – Agência Para a Energia, contém mais de 200 tarifários disponíveis para consulta (incluindo as tarifas reguladas) e comparação. “As empresas [comercializadoras] não pagam nada para estar aqui, mas estão aqui todas”, garantiu o presidente da Adene, João Paulo Girbal, num encontro recente com jornalistas.

No conjunto estão carregadas no Poupa Energia as propostas das 23 empresas registadas junto da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para comercializar electricidade e gás natural a clientes residenciais. E o objectivo é que o consumidor consiga, de forma simples, verificar o seu perfil de consumo e o tarifário mais adequado ao seu caso específico (de acordo com o fornecimento que pretende: electricidade, gás ou ambos).

A plataforma (disponível em www.poupaenergia.pt) permite fazer as simulações com ou sem factura de electricidade ou gás, se bem que a utilização destas, com dados concretos sobre consumos, permite obter resultados mais precisos. Caracterizar o agregado familiar, o tipo de habitação, o número de aparelhos e o tipo de consumos (ecológico, comum e intensivo) são alguns dos passos para obter comparações de preços no Poupa Energia e descortinar as poupanças anuais face ao tarifário actual. A plataforma permite ainda filtrar por tarifários com débito directo, factura electrónica ou serviços adicionais (como por exemplo a assistência técnica), entre outros.

Numa segunda fase, daqui a três meses, o objectivo é que também esteja disponível um simulador de tarifários para pequenas e médias empresas.

A partir desta plataforma, os consumidores também terão possibilidade de realizar pedidos de mudança de comercializador (a que a Adene recomenda que os comercializadores dêem resposta num prazo de cinco dias). Embora esteja previsto que, no futuro, a Adene fique responsável pelo operador logístico de mudança de comercializador (OLMC), essas são funções que, pelo menos por mais um ano, continuarão sob alçada da EDP Distribuição (no caso da electricidade) e da REN (no caso do gás).

Segundo informação recolhida pelo PÚBLICO, aquilo que tem sido transmitido aos comercializadores é que a implementação da nova plataforma informática que passará a gerir em paralelo os processos de mudanças de comercializador na electricidade e no gás só estará concluída dentro de ano e meio. Assim, o processo de mudança (também conhecido por switching), só deverá ficar formalmente com a Adene em 2019, que passará a ser remunerada por isso através das tarifas da electricidade (tal como acontece actualmente com a EDP Distribuição e a REN).

Segundo o Governo, este ano o serviço de mudança terá um custo de 2,3 milhões de euros para os consumidores de energia (dos quais 1,8 milhões vão para a EDP Distribuição).

Já a plataforma Poupa Energia terá “zero custos para o consumidor”, segundo João Paulo Girbal. Será financiada com receitas próprias da agência (que provêm essencialmente do sistema de certificação de edifícios), com os fundos esperados de uma candidatura ao Compete 2020 e ainda com uma panóplia de serviços de valor acrescentado que o portal prevê vir a prestar aos comercializadores, esclareceu Girbal, sem querer concretizar nem os valores de investimento ou de financiamento envolvidos, nem tão pouco o tipo de serviços que poderão constituir nova fonte de receita.

Sobre este último aspecto, o presidente da Adene exemplificiou que serão serviços de suporte aos pequenos comercializadores, que podem ajudá-los a automatizar processos e tornar mais barato o processo de angariação de clientes.