Crónica de jogo

Uma lesão, um "frango", e três estreias

Portugal empata com os EUA (1-1) num jogo em que esteve em desvantagem no marcador. Pepe saiu lesionado logo os dez minutos

Fotogaleria
Antunes festeja o seu golo frente aos EUA Reuters/RAFAEL MARCHANTE
Fotogaleria
A partida entre Portugal e os EUA foi equilibrada LUSA/PAULO NOVAIS
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
Fotogaleria
Reuters/RAFAEL MARCHANTE
Fotogaleria
Reuters/RAFAEL MARCHANTE
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
Fotogaleria
Reuters/RAFAEL MARCHANTE
Fotogaleria
LUSA/PAULO CUNHA

O ano 2017 terminou para a selecção portuguesa com um empate (1-1) e sem derrotas (após  encontros). Diante dos EUA, a equipa de Fernando Santos até esteve a perder, mas restabeleceu a igualdade num lance em que o guarda-redes norte-americano ficou mal na fotografia.

Fernando Santos fez sete alterações relativamente ao encontro com a Arábia Saudita (Ricardo Ferreira fez a estreia absoluta e Bruno Fernandes e Bruma foram titulares pela primeira vez) mas a selecção entrou mal no encontro, jogando a ritmo lento. E, ainda antes de qualquer lance de perigo, a equipa nacional já sofria uma contrariedade: Pepe, lesionado, teve de sair.

Os EUA foram a equipa mais lúcida em Leiria e, aos 21’, colocaram-se em vantagem no marcador. Weston McKennie recebeu a bola de Sapong, livrou-se de Ricardo Ferreira e, cara a cara com Beto, adiantou os norte-americanos. Era uma estreia de sonho para o jovem médio do Schalke 04, que esteve entre os melhores da equipa orientada interinamente por Dave Sarachan, após a demissão de Bruce Arena por falhar a qualificação para o Mundial 2018.

Passaram dez minutos até que Portugal fizesse o 1-1. Bruno Fernandes encontrou Antunes na esquerda e o lateral tentou fazer o cruzamento (ou seria um remate?), que o guarda-redes Horvath parecia ter controlado. Só que a bola escapou-lhe das mãos, passou-lhe entre as pernas e entrou na baliza, oferecendo com um “frango” monumental o primeiro golo de Antunes na selecção.

A segunda parte começou com os EUA a todo o gás, mas Beto destacou-se com um par de intervenções, incluindo uma defesa acrobática, com os pés, digna de artes marciais — e a barra da baliza devolveu o cabeceamento de McKennie.

A equipa de Fernando Santos melhorou a partir do momento em que entraram Bernardo Silva e Gonçalo Paciência (o segundo estreante da noite), mas o melhor que se viu foi um remate à trave do avançado do V. Setúbal. Na recta final, Rony Lopes também cumpriu a primeira internacionalização, tornando-se no 31.º a estrear-se pela mão de Fernando Santos.