Soldado ferido por tropas norte-coreanas quando desertava para Sul

Militar foi tratado num hospital da Coreia do Sul.

Foto
Lee Jae-Won/ REUTERS

Um soldado da Coreia do Norte desertou através da Zona Desmilitarizada entre o seu país e a Coreia do Sul, noticiou a BBC nesta segunda-feira, citando fontes militares do Sul, sem no entanto especificar o dia em que aconteceu.

Quando cruzava a zona de segurança na aldeia de Panmunjom, o militar foi alvejado e ferido por membros do seu exército, mas deu entrada com vida num hospital do Sul.

“Ele veio da Coreia do Norte em direcção à nossa Freedom House [um edifício no lado Sul da fronteira]”, diz um comunicado, que acrescenta que o soldado ficou ferido num braço e num ombro.

A BBC contabiliza em quatro o número de deserções do exército da Coreia do Norte nos últimos três anos, através da Zona Desmilitarizada. Todos os anos um milhar de pessoas abandona o país dirigido por Kim Jong-un, mas são raros os que o fazem através daquela zona, que se encontra fortemente vigiada de ambos os lados da fronteira.

Os dois lados da Coreia encontram-se ainda tecnicamente em guerra, já que o conflito histórico que as opôs terminou em 1953 mas com uma trégua e não um tratado de paz.

O número de norte-coreanos que fugiram do país diminuiu 13% no último ano – entre Janeiro e Agosto registaram-se 780 fugas, segundo as autoridades de Seul. O reforço da vigilância nas fronteiras por parte do regime norte-coreano estará na origem desta descida.

A maioria das deserções ocorre através da China, não apenas por se tratar da fronteira mais extensa mas também pelo facto de não se encontrar tão vigiada como a da Coreia do Sul.

Ainda segundo as autoridades de Seul, mais de 30 mil pessoas fugiram para o Sul desde o final da Guerra da Coreia.