São Petersburgo pondera recriar casas para recolher bêbedos no Mundial 2018

Autoridades russas admitem recorrer a prática aplicada durante o período soviético.

São Petersburgo
Foto
São Petersburgo ADRIANO MIRANDA / PUBLICO

O governador de São Petersburgo, cidade russa que será palco de vários jogos do Mundial 2018 de futebol, anunciou nesta segunda-feira a intenção de recriar casas típicas da era soviética para recolher pessoas em estado de embriaguez encontradas nas ruas.

Gueorgui Poltavchenko foi incumbido de "criar um mecanismo legal que crie esses locais, que possam funcionar não como os hospitais, mas de forma independente", informou a administração local.

"Precisamos criar instituições independentes para onde possamos trazer essas pessoas (...) Vamos encontrar recursos para isso", disse Poltavchenko, citado pela imprensa russa.

O governante respondia a uma observação de um procurador-adjunto de São Petersburgo durante uma reunião sobre o tráfico de álcool, já que o alcoolismo é encarado como "um problema ainda mais actual nas vésperas do Campeonato do Mundo".

Estas casas eram numerosas nas grandes cidades durante a era soviética e tinham má reputação, por causa dos maus tratos infligidos aos alcoolizados que para lá eram levados: em teoria, receberiam ajuda médica e poderiam passar lá a noite até ficarem sóbrios.

Após a queda da União Soviética, foram fechando, progressivamente, até terem desaparecido por completo em 2011. De acordo com a lei vigente, as pessoas que estão embriagadas nas ruas devem ser transportadas para o hospital ou para uma esquadra da polícia.

O Mundial 2018 decorre entre 14 de Junho e 15 de Julho, e São Petersburgo recebe sete jogos, incluindo uma meia-final e o jogo de atribuição do terceiro e do quarto lugares.