No próximo Verão, acampamos no rio?

A Shoal Tent é, segundo o fabricante, a primeira tenda de campismo que permite dormir à noite na água.

Foto

As tendas já evoluíram de objectos montados peça a peça para as de montagem rápida (largar, atirar e já está). Agora chega mais uma inovação: acampar na água. A Shoal Tent afirma-se como a primeira tenda de campismo insuflável e oferece a possibilidade de dormir sobre água enquanto navega por um rio ou lagoa.

O conceito pode parecer estranho à partida, mas se pensarmos como a Smithfly, que comercializa o produto, podemos criar um novo parque de campismo: os 70% de água que constituem o planeta. Naturalmente, estas tendas são mais aconselhadas para sítios calmos, em que se possa “dormir debaixo das estrelas, sobre a água, sentir a corrente e deixá-lo abanar até ao sono”, como descreve a Smithfly.

E não vale a pena estar preocupado com questões de espaço. A tenda aquática tem dois metros de altura e lugar para três ou quatro pessoas naquele quadrado insuflável. A segurança da Shoal Tent também é prometida aos utilizadores, numa tenda que pesa quase 23 quilos. Apesar de ser pesada, resistente e à prova de água, não existem ferros, nem varetas para montar. O processo é tão simples como as tendas que se montam em cinco segundos, mas mais moroso: encher a tenda com ar, como qualquer piscina de trazer por casa.

PÚBLICO -
Foto

A única coisa de que pode precisar (além de tudo o que leva para um acampamento) é um remo, para poder orientar a sua própria tenda de campismo em movimento. Esta inovação já começou a ter as primeiras encomendas, custando 1499 dólares (cerca de 1300 euros).

A empresa norte-americana é especializada em design, partindo da ideia de Ethan Smith, que em 2010 fundou a SmithFly, que se especializa em tudo o que rodeie o mundo da pesca ou da água. Além da nova tenda aquática, existem malas, chapéus, acessórios de pesca, barcos e até arcas refrigeradoras, tudo isto assinado pela SmithFly que tem agora a Shoal Tent como principal atracção do seu negócio. 

PÚBLICO -
Foto

Texto editado por Sandra Silva Costa