Ramsay sobre restaurante que proíbe fotografias: "que pedante"

O restaurante de três estrelas Michelin The Waterside Inn, em Inglaterra, proibiu os clientes de tirar fotografias. Gordon Ramsay reagiu com indignação, via Twitter.

Foto
REUTERS/Mario Anzuoni

Gordon Ramsay não é conhecido por conter as suas opiniões, nem mesmo por suavizar as críticas mais severas. Quando um dos restaurantes mais respeitados do Reino Unido, The Waterside Inn, decidiu afixar uma placa a proíbir os clientes de fotografar, o chef mostrou total indignação no Twitter.

"Que pedante! É um elogio para o chef o facto de os clientes quererem tirar fotografias dos pratos pelos quais pagaram", comentou acerca de uma notícia do Daily Mail.

A questão até poderia ter ficado por aqui, mas Ramsay continuou a defender o ponto de vista numa série de outros tweets. "Se eu vir uma boa fotografia publicada vou querer ir lá comer imediatamente, ele é apenas um velho rezingão que se esqueceu de seguir adiante", escreveu, acrescentando que é também uma forma de chamar a atenção dos chefs quando erram.

Ramsay aproveitou para elogiar a guia Michelin por ter tomado a iniciativa de começar a partilhar nas redes sociais – em Inglaterra e França – as experiências dos inspectores. "É uma grande lufada de ar fresco", aponta.

Fundado em 1974 pelos irmãos Michel e Albert e localizado em Bray, a poucos quilómetros de Londres, o The Waterside Inn é um dos apenas cinco restaurantes no Reino Unido com três estrelas Michelin, no guia de 2018. Um dos outros é o epónimo de Gordon Ramsay, localizado no bairro de Chelsea, em Londres.

Quem está actualmente à frente da cozinha é o filho de Michel Roux, Alain.

Sugerir correcção